Instagrão

  • Daqueles cantinhos que voc descobre e guarda no corao
  • casualmente being lra na timelinha de vocs curlyblond
  • tudo muda menos minha vontade de conhecer todas as cafeteriashellip
  •  sempre especial te reencontrar rafaellasouzar! E ainda mais conhecendohellip
  • Chewie se perguntando porque foi que a gente parou schnauzer
  • Que equipe incrvel que experincia massa blackfriday
  • hey ho lets go
  • meu companheiro de bingo que me ganhou 1 ventilador casalradical
Explore

rotinas

Da rotina

Desculpe a ausência

10 de novembro de 2016

Hi, Life. I brought you some flowers.

Perdi as contas de quantas vezes ensaiei escrever esse post. Acontece que uma vez que caímos nas graças da nossa amiga inércia, fica muito difícil voltar às boas com a nossa produtividade. Além do quê, a minha vida não está ajudando. Ela está muito complexa para ser reportada. Desde agosto tem acontecido nada além de novidade em cima de novidade, mudança em cima de mudança. Umas boas, outras nem tanto, todas fazendo com que eu me movimente desconfortavelmente de uma rotina para outra num piscar de olhos. Eu já disse a vocês o quanto eu odeio mudanças? O quanto eu tenho preguiça de criar novas rotinas e fugir do que eu já sei que dá certo? Pois bem, então vocês podem imaginar a quantas não anda a minha cabecinha ultimamente.

Em novembro, finalmente, a poeira baixou e pudemos identificar, por cima, alguns mortos e feridos e outros sobreviventes ilesos. E chegamos à seguinte situação: estou atualmente desempregada, com algum dinheiro na poupança (obrigado, Deus, pelo fundo de garantia e pelas multas rescisórias) e com algumas poucas ideias de como fazer para seguir em frente. É a segunda vez que fico desempregada na vida – a última foi há 3 anos atrás (eu sei, não faz tanto tempo assim – umas das causas pelas quais odeio e amo trabalhar com publicidade). E o sentimento dessa vez é um pouco menos aterrador. Apesar do medo desse grande desconhecido chamado possibilidades, atualmente estou um pouco mais confiante de que tenho bons caminhos pela frente. Isso não quer dizer, claro, que não me bata uns ataques de ansiedade de vez em quando, nos quais eu tento respirar fundo e me controlar, dizendo que vai dar tudo certo, de uma forma ou de outra. Eles batem, mas estou lidando bem com isso. Sei que tudo acontece por um razão e, possivelmente, Deus queria me dar um tempo para realinhar meu rumo. E será isso que eu farei.

Estou, aos poucos, trazendo alguns projetos meus de volta à vida. Um deles é, finalmente, tomar as rédeas da minha alimentação e do meu físico em geral, que não anda bem e, nesses meses de loucura, desceu mais ladeira abaixo ainda, se é que isso era possível (era). Jamais estive tão gorda na vida e não estou feliz com isso e tampouco meu corpo está lidando bem com o sobrepeso. Portanto, abracei com vontade a meta de perder 10kg em 3 meses, voltando ao meu IMC saudável, assim. Estou fazendo escolhas melhores, me hidratando bem, indo à academia e tentando ser mais ativa, de modo geral. Meu boy queria que eu compartilhasse esse projeto aqui, como uma categoria à parte e fizesse um auê sobre isso, mas sabe? Não quero. Deus sabe quantas dietas e projetos eu já comecei e, realmente, é ótimo ter pessoas pra cobrar. Mas, sei lá, simplesmente não encaixa com o que eu estou vivendo no momento. Estou em descoberta comigo mesma e sinto que a única força de que preciso está dentro de mim e todo esse buzz externo pode me incomodar e atrapalhar. Portanto, devo compartilhar algumas coisas sobre essa empreitada no meu instagram e twitter (e até aqui, no blog), porém nada muito detalhado, provavelmente.

O blog, também, é um projeto a que quero dar mais atenção. Ele é sempre deixado de lado nos momentos difíceis, o que é um absurdo, mas é como eu atualmente lido com as coisas. Mas, bem, vamos mudar isso? É o que eu desejo e, com alguma sorte, aparecerei mais vezes, para tratar de assuntos mais amenos. Quero voltar a estudar francês, quero fazer alguns cursos para a minha área de trabalho, quero limpar o quarto da bagunça de uma vez por todas, quero ler os livros abandonados na minha estante, quero viajar. São muitos projetos, até. E talvez seja isso que me fez ficar paralisada por um tempo. Assim, estou retomando cada um deles aos poucos. Comecei com a alimentação saudável e os exercícios, pois me pareceram os mais importantes. Agora estou aqui, dando alguma atenção ao blog. E, passo a passo, vou reorganizar minhas prioridades e fazer andar, novamente, o trem da minha vida.

Queria muito ser dessas pessoas que partem de uma para outra em um piscar de olhos. Infelizmente, não é a minha. Meu mercúrio em touro (desculpem pessoas que odeiam astrologia, apenas sigam em frente) tá aí pra dizer que a minha lentidão não é invenção minha. Eu demoro a entender, de verdade, o que está acontecendo – embora seja boa em fingir que tá tudo lindo, tá tudo belo e tô sacando a porra toda. Porém, parte dessa ‘demora’ é relativa ao meu entendimento de que as coisas simplesmente não se resolvem do dia para a noite. As reações às ações não são bombásticas e rápidas como acender uma dinamite. Acredito que a vida seja mais parecida com as transformações da fermentação na massa de um pão. Leva mais tempo para a gente saber qual vai ser o resultado final. Assim sendo, eu espero um pouco mais para chegar à uma conclusão sobre os acontecimentos da vida. Tudo é complexo, nada é apenas ruim ou bom. Para todo riso, há uma lágrima – para todo ponto, um contraponto.

Mas, bem, rápido ou não, aqui estamos. Obrigado a vocês quem continuam vindo aqui, não importa quantas teias de aranha se acumulem. Vocês são incríveis e dias melhores (ou mais simples) virão. E uma melhor versão de mim também.