Instagrão

  • All blue outfit
  • s h i n e
  • grossianes sim maravilhosas tambm
  • Juba para combinar com esse solzo em selfiany
  • alltime favorites
  • Comemorando a chegada da sexta com quem escuta meus resmungoshellip
  • Fui obrigada a cometer este cupcake por motivo de forahellip
Explore

Estresse

Da rotina

O que eu faço quando estou esgotada

10 de julho de 2015
Créditos: roivasepp

Créditos: roivasepp

Tem alguns momentos em que eu me sinto verdadeiramente esgotada. Truly, madly, deeply. A última vez que isso aconteceu foi, mais ou menos, há um mês atrás, quando a rotina do trabalho (que estava louca) encontrou o nosso processo de mudança (que envolve pedreiragem no fim de semana), o que resultou numa Amanda que, simplesmente, was not interested. Em nada. Não havia vontade de ler livros, ver filmes, sair com pessoas queridas, escrever no blog (ou mesmo ler blogs). O que parecia é que qualquer informação nova ia fazer aquele (des)equilíbrio (mantido a duras penas) voar pelos ares.

Geralmente, os meus momentos de esgotamento terminam quando uma das coisas que o estavam causando desaparece ou se torna menos complicada/estressante. No caso do última vez, a rotina do trabalho se acalmou um pouco e eu consegui voltar a me sentir no meu estado normal. Mas como isso demorou quase um mês para acontecer, vou dizer a vocês como lido com esse tipo de coisa, já que acredito que não seja a única a sofrer disso, principalmente nos dias atuais.

  • Eu não me obrigo a ficar bem ou a agir diferente. Quando você está esgotada, você está esgotada. Eu não me obrigo a me arrumar de manhã (embora, obviamente, saia de casa com o mínimo de decência, pra não assustar os coleguinhas na rua), não me obrigo a sair com as pessoas, não me obrigo a postar no blog. Entendo que, naquele momento, tudo o que eu preciso é tempo para descansar o cérebro, relaxar, dormir, revigorar meu eu exausto. Portanto, se eu não me sinto afim de fazer alguma coisa, eu escuto meu corpo e não faço.
  •  Coisas conhecidas são amigas. Não sei vocês, mas o desconhecido é sempre algo complicado pra mim. No geral, eu amo rotina – amo o que eu conheço e com que posso contar. Claro que mudanças são bem-vindas e trazem muitos resultados positivos, mas (normalmente) são estressantes. Como, esgotada, eu não posso lidar com mais estresse, nesse período eu tento me ater ao que eu conheço e sei que é legal. Isso inclui ler livros que eu já conheço (e amo), reassistir filmes ou séries que têm um lugarzinho especial no meu coração ou ir apenas naqueles lugares que eu sei que vou comer coisas gostosas. No meu período de cansaço extremo, reli O Diabo Veste Prada (e já quero reler de novo) e reassisti Sex and The City (apenas amor).
  • Tentar se liberar da sobrecarga é essencial. Há momentos em que você simplesmente tem que lidar com tudo aquilo que chega pra você e não tem outra opção mesmo. Porém, há momentos em que a sua sobrecarga é opcional (talvez, até, resultado de uma impossibilidade de delegar tarefas). Reveja o porquê de você estar sobrecarregado. De qualquer forma, ninguém deve passar muito tempo esgotado.

E vocês, gente? O que fazem quando estão se sentido extremamente cansados? Comentem!