Instagrão

  • Daqueles cantinhos que voc descobre e guarda no corao
  • casualmente being lra na timelinha de vocs curlyblond
  • tudo muda menos minha vontade de conhecer todas as cafeteriashellip
  •  sempre especial te reencontrar rafaellasouzar! E ainda mais conhecendohellip
  • Chewie se perguntando porque foi que a gente parou schnauzer
  • Que equipe incrvel que experincia massa blackfriday
  • hey ho lets go
  • meu companheiro de bingo que me ganhou 1 ventilador casalradical
Explore

Cordon Bleu

Livros & Outros Amores

Últimos lidos e amados

26 de agosto de 2016

Faz tempo que eu não falo de livros aqui, né? Pois bem, eu tenho estado meio lenta nesse quesito e meu Goodreads me diz que estou 5 livros atrás da minha meta para o ano (“ousados” 25 livros, que comparados à meta de 100 de algumas amigas, é nada). Li 11 até agora e 10 foram de não-ficção e 1 foi uma releitura – do we see a pattern here? Não há como negar: empaquei em não-ficção de um jeito que vai ser difícil sair. Não me vejo lendo nada fora dessa categoria num futuro muito próximo, mas quem sabe das vontades do coração, não é? No momento, estou realmente empolgada em ler biografias e relatos de coisas que realmente aconteceram e observar como pessoas de verdade, como eu e você, lidaram com elas. Já que nenhum de nós vem com manual, ler sobre a vida das outras pessoas é o mais perto que a gente chega de um encaminhamento para esse cotidiano louco que insiste em nos surpreender.

Sem mais delongas, estão aí minhas últimas 3 leituras do coração:

◊  My Life in France – Julia Child (tem versão em português)

Desde que assisti Julie & Julia (um dos meus filmes favoritos, inclusive), fiquei realmente apaixonada pela Julia Child e louca para saber mais sobre a vida dessa moça que revolucionou a cozinha na América, trazendo a culinária francesa para as casas de quem não sabia cozinhar e não tinha o luxo de ter uma cozinheira. O livro é apaixonante, porque Julia é cheia de energia e positiva. O marido dela é o yin do seu yang, sendo mais sensível e equilibrado – mas sem nunca tentar apagar a chama que Julia era. Eles foram um casal incrível e ler sobre as aventuras deles em La Belle France é algo tão gostoso, tão divertido, tão leve que quando o livro acabou, tenho que dizer que restou um sentimento de perda no meu coração. Indico para todos que amam comida, que adoram viajar e que curtem a França (ou seja, todos nós?).

◊  The Sharper The Knife, The Less You Cry – Kathleen Flinn (ainda não tem tradução para o Brasil)

Esse livro, se não me engano, foi indicação do Goodreads, baseada nas minhas leituras – mas veja você mesmo quantos acertos! A Flinn é uma jornalista que é demitida de um cargo executivo no qual ela não estava feliz nem tampouco indo bem e que decide, com incentivo do namorado, aproveitar a deixa e se mandar de Londres para a França, para estudar na famosa escola de culinária, a Le Cordon Bleu. Parece clichê (e é um pouco, não vou mentir), mas é tão gostoso de ler. O livro é bem focado na experiência dela na escola em si – diferentemente do livro da Julia, que fala das experiências dela no geral, na França e em outros países. Pra mim, foi uma leitura muito interessante, porque sempre quis saber como é estudar na Le Cordon Bleu. O livro ainda tem umas receitas no meio, mas como o livro é em inglês (e não tem tradução ainda), é meio chato de adaptar os ingredientes, então nem me empolguei a testar nada.

◊  Livre – Cheryl Strayed (o original é em inglês)

Esse livro. O que falar desse livro? Ele estava na minha estante há ANOS. ANOS! E apenas há poucos meses atrás eu finalmente tive a decência de lê-lo. E que bom que eu tive! Livre (ou Wild, no título original) é a história dessa moça, a Cheryl, que perde a sua mãe, acaba seu casamento e decide se jogar numa trilha (a Pacific Crest Trail) e viver as aventuras da vida selvagem. Andando. Sozinha. E ela não só encontra ursos, cobras e outras coisas apavorantes, como ela encontra a si mesma. É um livro incrível e que ficou atrás, em termos de apaixonamento, apenas de Comer Rezar Amar, que me ganhou de um jeito que poucos livros na vida me ganharam. É uma leitura envolvente: a gente sofre com Cheryl, a gente se preocupa com ela, a gente torce por ela. O grande problema é que me deixou com uma vontade imensa de me jogar numa trilha, só que eu sei que: eu tenho 0 condicionamento físico e MORRO de medo de altura – e geralmente, em algum momento dessas trilhas, você passa por situações tensas que envolvem altura. Portanto, estou sentando e esperando a vontade passar, mas de qualquer forma: livro maravilhoso, leiam se puderem.

E aí? Já leram esse livros? Têm algum outro desse gênero para me indicar? Deixem seus pitacos nos comentários! 😉