Amanda Arruda - Lifestyle, Decoração, Livros e Feminices - Página: 15
Mandy na Cozinha

Mandy na Cozinha: Banana Pancakes

(eu podia ter colocado o nome em português, mas daí vocês não lembrariam da música de Jack Johnson, né?)

Então, gente, domingo passado, depois de muita insistência do bofe, eu fiz um prato que já tem tudo para se tornar um clássico dos fins de semana: panquecas de banana. São aquelas conhecidas panquecas americanas, porém com um plus: banana na massa. Fica tão gostoso que dá vontade transformar todos os dias em sábados e domingos, só pra tê-las com a gente todas as manhãs. E aí achei que podia vir aqui dividir minha receita com vocês, né?

Pois bem, vocês vão precisar de:

1 xícara de farinha de trigo sem fermento;
2 colheres de chá de fermento;
1/4 de uma colher de chá de sal;
1 colher de sopa de açúcar;
1 ovo batido (não precisa sem em neve, apesar precisa misturar a clara com a gema);
2 colheres de sopa do óleo vegetal de sua escolha (menos azeite, gente);
1 xícara de leite;
2 bananas amassadas;
1 colher de chá de essência de baunilha.

Misture o ovo batido, a banana amassada, o óleo e o leite em uma tigela. Reserve. Misture a farinha, o fermento, o sal e o açúcar em outra tigela. Reserve. Adicione o conteúdo da tigela do ovo à tigela dos ingredientes secos e vá misturando. A massa vai ficar com alguns calombinhos, é normal, só se preocupe em deixá-la homogênea. Quando a massa estiver pronta, é só assar as panquecas. A quantidade ideal de massa para cada panqueca é 1/4 de xícara e, de óleo para fritar as panquecas, 1 colher de sopa. Procure repor o óleo da frigideira, entre uma panqueca e outra, para que as panquecas fiquem douradas ao assar. Depois, é só colocá-las em papel toalha, para secar, e fazer o seu montinho do amor, com seus toppings favoritos. As de domingo foram com leite condensado e morango, apenas vida. <3

Já fiz algumas vezes e sempre fica sensacional. Não é nada trabalhoso e, se você tiver uma frigideira grande, dá pra fazer várias ao mesmo tempo, o que economiza MUITO tempo. E as possibilidades de toppings são infinitas: açúcar, mel, geléia, frutas, leite condensado, doce de leite e tudo o mais que você quiser. É só soltar a imaginação e montar as suas panquecas à sua moda.

Curtiu? Vai testar? Comenta!

Feminices, Parceiros

Glambox de Abril: Pat Bo


Chegou amor aqui em casa! Semana passada recebi minha primeira caixinha da Glambox, a do mês de Abril, da Pat Bo. Estava super ansiosa para ver o que tinha dentro e, ó, não me decepcionei.

Pra quem não conhece esse serviço, a Glambox é uma assinatura de cosméticos ‘surpresa’: você paga um valor mensal/semestral/anual e recebe todo mês produtinhos aleatórios (mas que levam em conta um perfil de beleza que você preenche lá no site) para você usar e testar. E se você é das minhas, que adora testar coisas e que sempre volta com algum produto da farmácia, a caixinha é um ótimo investimento, uma vez que traz vários produtos por um precinho bem mais aceitável do que o que a gente encontra nas farmácias. É verdade que alguns produtos vêm em forma de amostras, mas vê bem: não é muito mais legal pagar pouco numa amostrinha e ver se você realmente curte o produto do que pagar muito numa versão full e quebrar a cara? Pois é.

Agora, ao que interessa: a edição de abril. Primeiro de tudo: a caixinha não é UMA GRAÇA? Obviamente que eu, maria das caixas, já peguei ela para guardar coisas, né? Tá na minha penteadeira improvisada, do lado das minhas maquiagens. Chewie obviamente queria roubar para fazer o que ele ama fazer com caixas (destruir), mas eu a salvei a tempo. <3

Selo Chewie de aprovação (:

Vieram 7 produtinhos, dos quais um foi uma versão reduzida e outro na forma de sachê. Achei essa caixinha bem diversificada: veio produto pra cabelo, sabonete, creme dental, produtos pras unhas e um delineador arraso. Bem ‘vamos ver o que tem de legal na farmácia’ mesmo!


Removedor de esmalte Teen, da Ideal: Essa versão é ainda maior do que a versão normal do produto – aquela redondinha, que vem com 32 lenços. Essa vem com 60. Adorei receber esse produtinho, porque o meu removedor tinha JUSTAMENTE acabado de acabar. Parece mais que a galera da Glambox veio futricar nas minhas coisinhas aqui em casa, haha!


Sabonete para pele extremamente seca, da Dove: esse sabonete é hipoalergênico, sem perfume e feito para causar o mínimo de impacto possível na pele. Comecei a usar e, realmente, não deixa a pele esticada no fim do banho. Minha pele não é tão sensível, então não vi outros benefícios além desse – mas deve ser legal pra quem tem dermatite alérgica ou outros problemas que deixam a pele sensível, né?

Sachês do shampoo + condicionador Élseve Arginina Resist, da L’oréal: Tô bem animada para testar essa linha da Élseve, porque meu cabelo está bem fragilizado mesmo – ainda se recuperando das luzes mal-sucedidas de 8 meses atrás. Vocês saberão se der certo, podem deixar comigo! (:

Miracle Oil, da Vita Seiva: Já testei esse óleo no sábado e no domingo e: dá um brilho bem legal no cabelo, não pesa nada e tem um cheirinho bem bom. Acredito que, até agora, foi o produto que mais curti na caixa – embora eu não tenha testado todos os outros, né?

Esmalte com perfume da Revlon: Esse esmalte, segundo a Revlon, seca com cheirinho de framboesa. Ainda não testei, mas se secar assim mesmo, com certeza será um dos meus esmaltes favoritos, já que a cor eu já amei. <3

Creme Dental Regenerate: Tô MUITO animada para testar esse creme dental, cuja promessa é regenerar o esmalte dos dentes. Tomo MUITO refrigerante e adoro coisas ácidas/azedas, logo o esmalte dos meus dentes já viu mesmo dias melhores. Esse produto veio numa versão reduzida, mas acho que vai dar pra testar de boa! (:


Delineador Mega Impact Violeta Avon: E haja Giovanna pra segurar o forninho desse delineador roxo sensacional. Sou meio avessa à delineadores coloridos, mas esse tem uma cor tão bonita que eu vou ter que dar uma chance pra ele. Se tudo der certo, aguardem fotos no Instagram. (:

E o bônus desse post é Chewie, esperando eu fotografar as fotos do post pacientemente, na porta do quarto. Tive que eternizar esse momento, porque Chewie e paciência são coisas que você quase nunca encontra na mesma cena. <3

IMG_2765

E aí, o que acharam? Já usaram algum dos produtinhos da caixa? Deixem seu comentário!

Da rotina

Despressurize o finde: como descansar de verdade

Despressurize

Entre as várias maravilhosas mudanças que eu notei em mim, desde que comecei a fazer yoga, definitivamente a capacidade de me desconectar é uma das melhores. Porque, sinceramente, vou jogar aqui uma realidade: a gente não foi feito pra lidar com esse volume de coisas não. É muita informação, muita interação, muitas interrogações pedindo sua atenção, muitos coleguinhas pedindo sua opinião, muito tempo perdido. A partir do momento que você desconecta, isso para de interessar. Não tô nem aí pra quem publicou um foto comigo, deixa eu sentar aqui confortavelmente no meu sofá e assistir um filminho, enroscada no meu bem. E é bem por aí.

O meu post ia ser só sobre como desconectar, mas me bateu que nem só na internet moram nossos problemas. Mesmo sem a tal da internet, muita gente ainda tem problema pra relaxar. Faz parte da nossa cultura se sentir culpado por estar de boa. Ócio, por si só, não parece correto. Mesmo no nosso tempo livre, somos impelidos por uma determinação destrutiva, de que temos que produzir, produzir, produzir. Quando a verdade é: não. Não temos não. Nós temos que descansar, porque já produzimos a semana toda e precisamos, de verdade, de um tempo pra não fazer nada.

Eu sei disso porque eu costumava fazer to-do lists ridículas de tão longas, não conseguia fazer metade do que me propunha e, claro, ficava frustradíssima no final de tudo. Mas, gente? Porque mesmo que eu tenho que ‘fazer coisas’ no fim de semana, um tempo que era pra ser livre? Porque eu tenho que ser uma pessoa produtiva, quando eu podia passar o dia maratonando uma série favorita, lendo um livro, pesquisando coisas na internet ou até, vejam que ousadia, fazendo absolutamente nada? Ninguém vai me pagar nada a mais por arrumar minha estante no fim de semana ou esfregar o banheiro. Ninguém está me obrigando a fazer isso. Logo: eu faço se eu quiser. E eu, agora, não quero.

Por isso, o que eu quero dizer é: libertem-se. Libertem-se dessa necessidade de estar fazendo alguma coisa no seu tempo livre. Aceitem o ócio. Aceitem a preguiça. Aceitem as horas sem fazer nada que vá contribuir, especificamente, para algo em sua vida profissional. A gente precisa de um tempo. É uma longa estrada – eu ainda estou bem no comecinho dela – mas totalmente vale a caminhada.

“Mas Amanda, se eu não estudar pro concurso/fazer aquele curso no sábado/trabalhar naquele freela, o que eu vou fazer no fim de semana?”. Não temais! Fiz uma listinha das coisas que eu, uma introvertida de primeira categoria, faço nos meus fins de semana despressurizados. Desligue o celular (ou coloque no silencioso), ignore aquela vozinha ridícula que diz para você adiantar os trabalhos da semana quem vem e aproveite as possibilidades:

  1. Dormir;
  2. Ler;
  3. Curtir uma praia;
  4. Cozinhar;
  5. Brincar com o cachorro;
  6. Fazer as unhas;
  7. Netflix;
  8. Yoga;
  9. Ir pra um barzinho com o amor ou as amigas;
  10. Assistir programas de culinária;
  11. Nothing at all.

Essas, obviamente, são algumas das minhas atividades de fim de semana e, certamente, vão parecer extremamente ridículas pra quem vive la vida loca. Você, que ama adrenalina e agitação, pode aproveitar seu tempo da sua própria forma.

Apenas se deixe fazer o que seu corpo pede pra que você faça. Escute seu corpo, ele sabe das coisas.

Publieditorial

Como se livrar da faxina em um clique

Helpling

Nunca tive vontade de ter uma empregada em casa, porque curto demais minha privacidade – inclusive, todos os meus esforços, atuais e anteriores, têm sido e foram no sentido de que essa privacidade que eu tanto prezo finalmente dê o ar de sua graça na minha vida. Entretanto, venhamos e convenhamos: fazer faxina é um saco. De lavar prato eu até gosto – no calor de Recife, até ajuda a refrescar – mas só de pensar em lavar um banheiro eu já estou no chão, chorando e pedindo clemência (inclusive, trauma eterno, pois essa era a minha ‘tarefa’ em casa, quando eu morava com meus pais).

Por isso, quando a Helpling entrou em contato comigo, fiquei morrendo de inveja dos coleguinhas de São Paulo e do Rio de Janeiro, que têm a possibilidade de não apenas manter sua privacidade intacta (por não ter ninguém em horário comercial na sua casa) como também podem se livrar de ter que lavar o temido e indesejado banheiro. E resolvi vir aqui dividir com vocês essa mão na roda! Isso porque a Helpling tornou o trabalho de arranjar alguém de confiança para fazer a limpeza da sua casa muito mais simples: eles fizeram isso pra gente! Eles têm consigo diaristas confiáveis e eficientes, que vão fazer aquela limpeza legal na sua casa, por um preço acessível. E tudo rapidinho e fácil, no site deles ou através de seus apps para Android e IOS.

Ou seja: bateu aquela preguiça de limpar a casa? Cê acessa o app da Helpling, agenda uma das fadas mágicas da limpeza deles e, PLIM, fica tudo lindo, limpo e maravilhoso! O site/app deles é super simples de usar e lá você tem a opção de adicionar serviços extras (como limpeza de geladeira, armários, janelas e fornos), pra quando você quiser uma faxina reforçada. Quando abri pra calcular, o preço começava em R$73, o que eu acho que é um valor bem aceitável para se pagar pra quem vai te livrar da cilada que é a tal da faxina. O preço varia de acordo com o tamanho do seu lar e dos serviços que você quiser, então se você quiser saber direitinho quanto é pra sua casa, é bom checar lá no site deles.

Ah, só pra vocês saberem: a Helpling é um empresa internacional, presente em países como Alemanha, França, Itália, Suécia e Holanda, entre muitos outros. E eu, particularmente, acho que se uma coisa dá tão certo em outros países e está chegando no meu, porque não tentar, né?

(E fica aqui o meu pedido: Helpling, vem pra Recife que eu quero te usar! <3)

Esse post é um publieditorial.