O que eu faço quando estou esgotada – Amanda Arruda
Da rotina

O que eu faço quando estou esgotada

Créditos: roivasepp

Créditos: roivasepp

Tem alguns momentos em que eu me sinto verdadeiramente esgotada. Truly, madly, deeply. A última vez que isso aconteceu foi, mais ou menos, há um mês atrás, quando a rotina do trabalho (que estava louca) encontrou o nosso processo de mudança (que envolve pedreiragem no fim de semana), o que resultou numa Amanda que, simplesmente, was not interested. Em nada. Não havia vontade de ler livros, ver filmes, sair com pessoas queridas, escrever no blog (ou mesmo ler blogs). O que parecia é que qualquer informação nova ia fazer aquele (des)equilíbrio (mantido a duras penas) voar pelos ares.

Geralmente, os meus momentos de esgotamento terminam quando uma das coisas que o estavam causando desaparece ou se torna menos complicada/estressante. No caso do última vez, a rotina do trabalho se acalmou um pouco e eu consegui voltar a me sentir no meu estado normal. Mas como isso demorou quase um mês para acontecer, vou dizer a vocês como lido com esse tipo de coisa, já que acredito que não seja a única a sofrer disso, principalmente nos dias atuais.

  • Eu não me obrigo a ficar bem ou a agir diferente. Quando você está esgotada, você está esgotada. Eu não me obrigo a me arrumar de manhã (embora, obviamente, saia de casa com o mínimo de decência, pra não assustar os coleguinhas na rua), não me obrigo a sair com as pessoas, não me obrigo a postar no blog. Entendo que, naquele momento, tudo o que eu preciso é tempo para descansar o cérebro, relaxar, dormir, revigorar meu eu exausto. Portanto, se eu não me sinto afim de fazer alguma coisa, eu escuto meu corpo e não faço.
  •  Coisas conhecidas são amigas. Não sei vocês, mas o desconhecido é sempre algo complicado pra mim. No geral, eu amo rotina – amo o que eu conheço e com que posso contar. Claro que mudanças são bem-vindas e trazem muitos resultados positivos, mas (normalmente) são estressantes. Como, esgotada, eu não posso lidar com mais estresse, nesse período eu tento me ater ao que eu conheço e sei que é legal. Isso inclui ler livros que eu já conheço (e amo), reassistir filmes ou séries que têm um lugarzinho especial no meu coração ou ir apenas naqueles lugares que eu sei que vou comer coisas gostosas. No meu período de cansaço extremo, reli O Diabo Veste Prada (e já quero reler de novo) e reassisti Sex and The City (apenas amor).
  • Tentar se liberar da sobrecarga é essencial. Há momentos em que você simplesmente tem que lidar com tudo aquilo que chega pra você e não tem outra opção mesmo. Porém, há momentos em que a sua sobrecarga é opcional (talvez, até, resultado de uma impossibilidade de delegar tarefas). Reveja o porquê de você estar sobrecarregado. De qualquer forma, ninguém deve passar muito tempo esgotado.

E vocês, gente? O que fazem quando estão se sentido extremamente cansados? Comentem!

Previous Post Next Post

You Might Also Like

8 Comments

  • Reply Luiza Marques 10 de julho de 2015 at 11:19

    Já passei por muitos períodos estressantes e tem horas que só dá vontade de largar tudo mesmo. Adorei as dicas e vou me lembrar disso da próxima vez!

    Beijos,
    http://www.lelouie.com.br/

  • Reply Bessie B. 10 de julho de 2015 at 12:34

    Conheço muito bem esse sentimento. Também não me obrigo a parecer bem ou a sair etc, porque comigo só piora a situação. Dar satisfação é um porre nessas horas, melhor é sumir um pouco. Como minha mente fica mais esgotada que meu físico geralmente aproveito pra fazer bota fora, arrumar a casa level hardcore, aí pelo menos canso meu corpo e me sinto menos pior sabe? Ocupo a mente tentando tirar a mancha do fogão ou botando fora tickets de cinema antigos. E OBVIO ME DOU O PRAZER DE COMER COISAS GOSTOSAS, nada melhor que comfort food hahaha <3

  • Reply Patricia Leardine 11 de julho de 2015 at 13:15

    Eu estive bem sobrecarregada na última quinzena. Não sei se transpareci muito isso, mas acabei saindo um pouquinho dos blogs e evitei me forçar a fazer coisas, até coisas que eu gosto de fazer. Como aquele momento sagrado para as coisas acalmarem e voltar ao eixo. Também gosto de coisas conhecidas e rotineiras, e adoro assistir filmes que já assisti milhares de vezes mais que eu sei que vão adquirir significados distintos nos meus momentos. E essa sobrecarga também me ensinou a pontuar mais itens do meu dia, como por exemplo o horário em que as pessoas podem me encontrar ou que estou disponível para elas. Parece mesquinho né? Mas estava sendo sugada, e me deixei. Muitas vezes é preciso esvaziar.

  • Reply K A H 12 de julho de 2015 at 17:29

    Quando tô com a cabeça cheia e esgotada assim, o primeiro lugar que me forço a largar é a internet (digo que ‘me forço’ porque mesmo nesses momentos o vício grita alto). Aí, tento ir atrás de coisas mais leves que ~~desliguem a cabeça do presente feat problemas: livros, filmes, dormir, comer, hahaha e assim vai.

    Ótimas dicas, ainda mais sobre coisas conhecidas serem amigas – tb adoro rever ou reler histórias conhecidas, parece que conforta o coração, né? 🙂

  • Reply Ananda 12 de julho de 2015 at 23:20

    Vish, eu sou o oposto. Quando não tô legal eu p r e c i s o fazer alguma coisa diferente. Ler, aprender, assistir qualquer coisa que seja o contrario do que eu to acostumada, do que eu to cansada já. E me enfio em moleton, claro. ahahha
    :*

  • Reply BA MORETTI 15 de julho de 2015 at 10:55

    super conheço esse sentimento. acho que quando a gente abusa demais do corpo/da mente acaba caindo no limbo. aquela coisa de tem algo errado, não sei o que é e isso me deixa sem vontade de fazer nada. quando isso acontece comigo procuro fazer coisas como tu citou aí. tento esvaziar a cabeça das preocupações, dos excessos e me reorganizar mentalmente. mas nada forçado, por obrigação, justamente pra não gerar mais stress né? e engraçado, dependendo do stress que tô passando, coisas como cuidar dos meus gatos e dogs super me deixa bem (e cuidar eu falo em limpar cafofo dos bichos mesmo HAHA). acaba me dando tempo pra reorganizar ideias e afins 🙂

  • Reply Carolda 20 de julho de 2015 at 12:07

    Miga, ultimamente, no meu estado de esgotamento ininterrupto há um bom tempo, eu sento e choro. Ou vejo House. E choro. Ou Mary Poppins. E choro. Ou bebo. E choro.

    Tó um beijo.

  • Reply Manuella Firminy 20 de julho de 2015 at 22:57

    Engraçado, ultimamente eu tenho estado muito cansada. Vou dormir bem e acordo de uma maneira horrível. Não é nada físico, sabe? É estresse mental mesmo, muitas coisas acontecendo. Vou tentar seguir esses tópicos que você mencionou para ver se fico melhor desse estresse todo.

    Beijos.
    Visite o blog Coisas do Tempo e seja feliz ♥

  • Leave a Reply