Instagrão

  • a weekend thing
  • No tava crendo no quanto o mar estava maravilhoso dahellip
  • kombucha  morango  gengibre
  • quando a tpm fala mais alto e a sua amigahellip
  • nosso menino de v
  • meu de estimao
  • Que experincia incrvel! Nunca pensei que eu era uma perahellip
  • beautiful coffee stay with me
Da rotina

Novas coisas que eu tenho tentado

17 de janeiro de 2017

Foto: onimaga

Sabem daquela máxima que diz que não podemos fazer sempre a mesma coisa e esperar um resultado diferente? Pois bem, nesse comecinho de 2017 estou tentando aplicá-la na minha vida. Não estou fazendo mudanças radicais, mas sim pequenas e importantes. A minha impressão, ao fazer uma retrospectiva do meus últimos anos, é de que, em algum momento da estrada, eu me perdi. Eu me perdi e segui em frente, como se nada houvesse acontecido, sempre na loucura do momento, sempre focada no próximo grande problema a resolver. E agora eu não sei para onde eu quero ir, porque eu simplesmente perdi algo muito importante lá atrás e sem o qual eu não consigo definir absolutamente nada na minha vida.

A ideia não é voltar ao estado anterior – jamais seria possível, estamos mudando a todo o momento – mas trazer de volta à tona o que é minha essência. O que é importante para mim e que jamais deveria ter sido deixado de lado. É um extenso trabalho de tentativa e erro, mas que esse últimos meses (no qual experimentei deliciosas crises de ansiedade, nunca vistas antes na história desse país) mostraram que é indispensável  continuar trilhando o caminho do autoconhecimento e auto-amor. Não há outra rota possível.

Reduzir a quantidade de café. Eu queria tirar o café, mas é um pouco difícil, porque AMO tomar minha xicarazinha de manhã, com a minha primeira refeição do dia. Porém é extremamente desnecessário adicionar cafeína além do pontuado, portanto cortei a ingestão além do limite de uma xícara. Notei que a quantidade de café que eu estou ingerindo influencia diretamente em como meu corpo e minha mente se comporta naquele dia. Excesso de café me causa enxaqueca, crises de ansiedade e irrita meu estômago/intestino (how fun), portanto definitivamente é algo no qual eu não devo fazer indulgências.

Morning pages. Comecei bem recentemente, então ainda não deu para verificar os benefícios dessa prática, mas estou confiante de que pode me ajudar a lidar melhor com os desgraçamentos mentais que rolam por aqui. Nem que escrever 3 páginas diariamente sirva apenas para jogar fora todo lixo que se acumula na minha mente, acho que já é um plus, né? Com a mente mais limpa podemos entender melhor o que precisamos fazer e fazer isso de forma mais eficiente (acho).

Me alimentar melhor. Eu estava numa onda fitness, mas depois das festas acabei descambando do vagão e voltei a comer as porcarias de sempre, a ter preguiça de cozinhar, etc. Não posso dizer que melhorei 100%, mas estou pensando em saídas para trazer mais nutrientes e fazer melhores escolhas, porque meu corpo está gritando por isso. Não se vocês já sentiram isso do corpo de vocês ter realmente vontade de comer coisas mais saudáveis, mas parece que esse momento chegou pra mim e é uma vontade que eu preciso atender. Portanto, aos poucos também (estou evitando mudanças radicais, que são muito high maintenance), estou tentando trazer comidas mais nutritivas e saudáveis (sem me importar muito com as calorias)  para o meu dia a dia. Um dia pode ser um suco verde, no outro o bom e velho arroz com feijão. Estou tentando escutar o meu corpo e atender ao que ele pede (geralmente ele está certo).

Elencar meus objetivos de vida. Estou começando a trabalhar num mapa dos sonhos, pensando em todas as coisas que eu quero fazer na minha vida, em tudo o que eu quero ser e viver. É um exercício complexo e trabalhoso e que nos faz pensar em quem nós realmente somos, que é algo que estou desesperadamente precisando descobrir, nesse exato momento. São muitas opções, nesse nosso mundo globalizado, e nem sempre o que funciona pra um pode funcionar pra gente. É preciso pensar bem, se escutar, se entender e isso, com tanto ruído, não é nem um pouco fácil.

Diminuir o ruído. Como que a gente consegue pensar com TANTO BARULHO, gente? Digo barulho no sentido amplo da coisa. São tantas coisas nos tirando do nosso eixo. Abrimos o computador para resolver uma coisa, nos distraímos com a última notícia, esquecemos o que fomos fazer naquele computador em primeiro lugar. Vamos comprar macarrão no supermercado, voltamos com salgadinho e cerveja. Deitamos para dormir e, pronto, soa o barulhinho de uma notificação no Instagram e já era, passaremos uma hora perdidos nos feeds das vidas dos outros. Não pretendo tirar as coisas da minha vida, mas preciso e vou fazer uma redução do que acompanho, deixando apenas o que me interessa, realmente. Farei isso nos e-mails, nas redes sociais, no celular, no notebook e em todos os outros ambientes virtuais que por acaso eu tiver. Aos poucos, quero trazer um pouco mais de clareza ao meu dia a dia.

Voltar a estudar. Estou sentindo uma vontade louca de aprender novas coisas. Ainda estou pensando em como eu vou materializar esses novos estudos, mas sinto que preciso investir nisso, que é importante para mim no momento atual. Se será uma pós, um novo curso de línguas (francês, francês!) ou algo através da internet, só o tempo dirá. Mas é algo que eu sei que me fará muito bem, pois aquela Amanda, a da essência, é um ser curioso por vida e que adora aprender.

E vocês, têm algo que estão tentando trazer para o dia a dia de vocês? Comentem, pitaquem, deem sua opinião! 😉

  • Reply
    Priscila
    18 de janeiro de 2017 at 12:42

    Sempre seus textos me prendem do início ao fim. Eu estive um tanto afastada depois de muito ler em blogs, pelo simples fato que começa tudo a ficar repetitivo. Inclusive eu. Mas o seu sempre me prende. Sempre estamos tentando adquirir novos hábitos, não é mesmo? Eu me identifiquei com quase tudo que vc disse, embora me falte bastante a ação. Muito bom acompanhar seus progressos aqui!
    Beijinhos!

  • Reply
    Suelen Muniz
    23 de janeiro de 2017 at 00:55

    Oi Amanda,
    Engraçado que eu estou bem nesse momento,de querer me encontrar,encontrar o meu caminho e fazer diferente.Mudar a chave da mente,ou algo assim.
    E ando encontrando algumas pessoas nos blogs que sigo e que estou conhecendo que estão nesse mesmo momento.
    E isso inspira tanto!
    Também sinto essa vontade de coisas mais saudáveis,de descobrir algo novo,de escrever no meu caderno pra esvaziar a mente.Tem dias que são várias páginas,em outros,um parágrafo.Mas o que realmente importa é esvaziar,me sentir mais leve,tranquila.
    É exatamente isso,estamos juntas nessa😉

  • Reply
    Ligia Lopes
    24 de janeiro de 2017 at 10:53

    Oi Amanda,
    Me identifico muito com seus posts.
    Este ano resolvi também fazer algumas mudanças práticas. Sou viciada em coca-cola e resolvi parar. Como é difícil parar de uma vez, deixo apenas para fins de semana e feriados. Fora isso tento substituir por sucos, mate ou água mesmo. O café também não consigo deixar completamente de lado, até porque naquelas horas que o sono bate no meio do expediente fica difícil não arregar. Mas noto que ele piora minha ansiedade.

    Também resolvi me alimentar melhor e #quererserfitness, mas é difícil comendo na rua todos os dias. As opções são poucas e cansativas. Não virei aloka das calorias, já que sempre gostei de todos os alimentos, o que me falta mesmo é oportunidade para comer bem.

    De qualquer forma, continue nos seus projetos, acho que faz um bem danado a gente se colocar em primeiro lugar, por mais que às vezes seja difícil.

    Beijos!

  • Reply
    Carina de Carvalho
    2 de fevereiro de 2017 at 10:35

    Olá Amanda…
    Estou por aqui a pouco tempo, mas como tenho me identificado com seus textos!É como se tivesse descrevendo a minha atual situação estou com 27 anos, estudei, me formei, trabalhei, casei e não parei, sempre buscando mais e mais. E recentemente meu corpo e cabeça estão gritando: Socorroooo…por favor pare e respire! rsrs
    Então, tenho tentado fazer o mesmo exercício…e como é difícil deixar aquilo que estamos tão acostumadas.
    Mas já começei, cortei o excesso de café, começei a praticar exercícios, filtrando o que me faz bem e o que me faz mal..diminuindo o ruído… definindo minhas prioridades…tentando descobrir meus sonhos…enfim traçando o caminho para meu autoconhecimento!Tô tentando!
    Espero que todas nós consigamos!Um beijo…
    continuarei por aqui 🙂

  • Reply
    Claudia Hi
    13 de fevereiro de 2017 at 12:09

    Eu estou indo ao contrário. Estou aumentando a quantidade de café. Mas é algo que não sinto necessidade. Acho que não bebo muito, mas é sempre bom ficar de olho né! rs

    Também estou tentando me alimentar melhor, principalmente durante a semana, pois nos finais de semana eu sempre saio pra comer em algum lugar diferente e acabo abusando.

    Legal esse mapa dos sonhos. Acho muito bom ter objetivos pra gente se inspirar a sair da cama. Porque levantar numa segunda-feira com vontade de trabalhar não é fácil.. rs

  • Reply
    Ananda
    31 de março de 2017 at 00:05

    A boa noticia é que tamo junto. Em toda essa coisa de seguir em frente perdida na vida e agora não saber pra onde ir, e de tentar achar o caminho com as pequenas coisas. Cortei o café que também me fazia mal, mas mais porque eu nunca gostei de café mesmo, estou tentando não deixar os ruídos me atrapalharem também, e acabei de voltar pro blog (acabei mesmo, postei agorinha, e vim pra ca porque tenho um atalho pro seu blog do meu – o banner do ‘ser gentil é legal’). Descobri que gosto de um monte de coisa que não sabia, to aprendendo coisas que nunca imaginei. Enfim, quis dizer que nossos corações podem se abraçar, e que se quiser uma colega de estudo de francês tamos aí.
    E que legal que a internet pode dar esses presentes pra gente, de ler um texto e sentir tão representada.

Leave a Reply