Coisas que eu descobri no meu primeiro mês como dona de casa – Amanda Arruda
Casa & Decor

Coisas que eu descobri no meu primeiro mês como dona de casa

Eu, como dona de casa novata e não-manjante dos paranauês, levei vários sustos e segurei várias barras (pesadas) desde que se iniciou o processo de mudança e acomodação no nosso novo lar.  O pior de tudo é que eu achava que não seria complicado me adaptar a essa vida de cuidar da casa, porque eu sempre ajudei minha mãe nos afazeres domésticos e achei que tiraria tudo de letra. Mas, aparentemente, nada é fácil como a gente imagina e aqui vai uma listinha das realidades que a vida jogou na minha cara nesse 1 mês (YAY!) que estamos  no nosso cantinho:

  1. A casa nunca está limpa. NUNCA. Pelo menos, não se você, como a maioria das pessoas hoje em dia, trabalha 8 horas por dia e tem outros compromissos que também necessitam de sua atenção. Isso me irrita imensamente, porque sou uma pessoa que gosta de FINALIZAR tarefas e gosta do sentimento de trabalho bem feito e tarefa cumprida. E isso, atualmente, está impossível de atingir. E, aparentemente, esse é o sentimento da maioria, já que todas as amigas com quem conversei passam pela mesma coisa e, claro, me deram dicas para tornar as coisas melhores, mas não foram capazes de me informar a  fórmula mágica para deixar a casa sempre nos trinques.
  2. Cozinhar e lavar os pratos parece (e é) extremamente injusto. Antes de me mudar, eu achava bobagem isso de “quem cozinha não lava a louça” porque eu, que amo cozinhar, realmente não me importava de, nas raras vezes que eu tinha coragem de encarar as bocas do fogão na casa da minha mãe ou da minha sogra, lavar a louça. Até porque sempre lavei a louça na casa da minha mãe e realmente nunca achei uma tarefa especialmente odiosa. A questão é que, de vez em quando, realmente, não é algo que faça diferença na vida. Mas quando você chega, todos os dias, cansada do trabalho e do trânsito, e ainda tem que cozinhar algo decente para alimentar a você e ao seu cônjuge (que não desenrola muita coisa na cozinha), ter que lavar os pratos também é algo que você não leva de boa. Por isso que, depois de uma ou duas semanas cozinhando, lavando e secando pratos, pedi arrego e escalei o bofe como lavador de pratos. Porque né, apenas justo?
  3. Dividir pra conquistar. E por falar em envolver o bofe nos serviços da casa: essa é a única saída para que o ambiente que vivemos fique humanamente habitável. Infelizmente, ainda vivemos numa sociedade em que os pais (com algumas exceções) não treinam seus filhos para cuidar, também, da limpeza e manutenção de uma casa – apenas as filhas são envolvidas nesse tipo de tarefa. Então, obviamente, a maioria maciça das mulheres sabem como lavar um banheiro ou passar medianamente uma roupa, enquanto os homens mal sabem como varrer uma casa. Entretanto, isso não é desculpa para jogar o serviço doméstico todo nas suas costas e dispensar qualquer ajuda que pudesse vir do companheiro. Vale sentar, conversar, definir tarefas e, caso o boy não saiba como se faz alguma coisa, ensinar e ajudar. Aceite que os padrões provavelmente não vão ser os seus no início – mas, com ajuda e incentivo, tudo vai funcionar bem. Com o bofe, acredito que tive sorte, já que ele nunca se nega a ajudar e contribui bastante para a limpeza da casa. Graças a Deus, pelo menos, muitos caras já entenderam que, apesar da falta de treinamento deles, eles também precisam ajudar nas tarefas de casa.
  4. Passar roupa NÃO É DE DEUS. Taí uma tarefa que eu não fazia antes de me mudar: passar roupa. Estranhamente, minha mãe nunca nos incitou essa tarefa e acho que agora tá tudo explicado. Passar roupa é a tarefa mais incrivelmente CHATA da face da Terra, principalmente pra quem, como eu, não faz a MENOR IDEIA DO QUE ESTÁ FAZENDO. Passo um lado, amasso o outro. Estico um pedaço, o outro enruga. Sem falar que é uma tarefa longa que você tem fazer de pé.  É um estresse enorme e, depois de me preocupar por semanas, elegi a técnica do mínimo esforço em relação a essa obrigação tão odiada: passo o que eu vamos usar na semana e deixo o resto guardado, porque não estou disposta.
  5. Visitas ao supermercado são o novo ‘passeio no shopping’. Quando se toma conta de uma casa, fazer compras é MUITO mais divertido do que quando se acompanha os pais ao mercado. Se for um supermercado grande (com direito a coisinhas de casa, além de comida e bebidas) então, acabou-se! Semana passada, mesmo, estava eu dando pulinhos de felicidade porque achei, num mercado, uma pasta para dar brilho em panelas. Eu sei, não faz sentido, mas é por aí.
  6. Saber a quantidade de comida a se comprar é uma habilidade que requer treino. Eu sempre compro demais ou menos do que deveria. Estraguei 1/4 de abóbora, algumas laranjas e quase perco um cacho de bananas (porém fui mais esperta e fiz doce delas) com essa matemática errada do quanto nós vamos comer. E olhe que nós levamos marmita todos os dias, viu?  Sei que o certo seria eu organizar um cardápio semanal, mas ainda não empolguei nesse ponto. Gosto da ideia de cozinhar o que eu estiver afim de comer agora e não algo que eu decidi há 3 dias atrás.
  7. É muito gasto. Parcela do financiamento, condomínio, energia, alimentação, combustível… É, ser dono do próprio nariz não é fácil nem barato. Mas:
  8. Não existe nada igual. Não há nada como chegar em casa na hora que quiser (embora a gente quase sempre chegue cedo), organizar, limpar, cozinhar, ficar deitada no chão da sala, pensando na vida. Ter privacidade e independência. Fazer o que se quiser, sem pitacos de ninguém. Isso é tão maravilhoso e eu estava querendo isso há tanto tempo que esse primeiro mês pareceu um sonho. Aos poucos, vou incorporando rotinas e me acostumando ao dia a dia.

E aí? Curtiram minhas descobertas? Concordam? Têm dicas? Comentem!

Previous Post Next Post

You Might Also Like

16 Comments

  • Reply Alessandra Rocha 23 de agosto de 2015 at 19:31

    hahahaha AMÉM mandinha, eu nunca morei sozinha sozinha propriamente dito, mas quando estive em Dublin não tinha nem papai nem mamãe pra limpar então a gente se virava como podia, éramos em DOZE e nem assim conseguiamos deixar a casa brilhando… Optamos pelo mínimo esforço, com cada um fazendo sua parte a casa ficava limpinha e a gente não encanava com isso.

    Quero muito um canto só pra mim num futuro nem tão distante assim! Dá trabalho mas é tão gostoso né?

    beijo!

  • Reply Lívia 23 de agosto de 2015 at 21:09

    ai que deu uma vontade grande de ir logo morar sozinha haha admiro muito pessoas novas já se desenrolando nessa vida corrida! eu ainda tô morando com meus pais e fico contando os dias pra dar esse pulo enorme na independência. Até lá vou treinando aqui em casa mesmo

    boa sorte com essa vida nova!
    bjs

  • Reply Anna 24 de agosto de 2015 at 11:38

    Mandy, que delícia de post! Tô pra comentar isso há tempos, e sempre esqueço, mas sua casa tá TÃO LINDA! Aquele cantinho da cozinha com a bancada e os livros de receita tá amor demais <3 deve ser uma loucura lidar assim com a própria vida, mas uma loucura incrível, né? Fico muito feliz por vocês. Curta muito!
    beijos

  • Reply Cynthia 25 de agosto de 2015 at 00:41

    Nossa, como eu te entendo! Moro em apto desde que casei e a falta de espaço quebra nossas pernas. Mas olha umas dicas:
    – Quando for lavar edredom, lençol, toalha de mesa e coisas grandes não tem escapatória, o varal vai ficar só para eles mesmo, tem que reservar um dia (ou dois dependendo do clima) pra só ele ficar no varal. Mas se você tiver sacada ou algum lugar que bata sol, espalhe calcinhas, cuecas e meias por cima dele pra secar junto.
    – Geladeira é vida! Se ela tiver aquelas gradinhas atrás, PENDURA SEM MEDO! Roupas que precisam de urgência para serem secadas, só não podem estar pingando! Tem que estar naquele esquema pós centrífuga ;).
    – Varais, varais everywhere. No teto, no chão, na beira da janela. Em casa tenho um de teto e dois de chão. E ainda assim não dá conta. Conheça outros modelos e sem brinks: coloque quantos puderem!
    http://www.leroymerlin.com.br/varal-de-parede-polipropileno-38×7,5×7,5cm-secalux_87980613?origin=2080b59537a52c3496a0a848
    http://www.leroymerlin.com.br/varal-de-parede-aco-80x16x42-secalux_88298294?origin=2080b59537a52c3496a0a848
    http://www.leroymerlin.com.br/varal-de-teto-aco-90x56cm-maxeberhard_85233281?origin=f1fc07e6aca0a129f2ad710c
    http://www.leroymerlin.com.br/varal-de-chao-aco-com-abas-80x56x1,35cm-secalux_88363772?origin=ce3a10202ea7c78247c4d0d6
    E tem também um cabideiro pra camisas! https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/736x/45/23/b6/4523b642ae11fbed4a88189298f9d6a2.jpg saiu da máquina, pendura no cabideiro e deixa lá 🙂
    Obs.: a partir de agora, dê uma atenção especial para os tecidos que não amarrotam! Huheuehuehue

  • Reply Heloisa Godioso 25 de agosto de 2015 at 14:18

    hahahahahahhaa me identifiquei super com esse post!
    Ha 5 anos moro com uma amiga e caí na real de todos esses itens aí na marra.
    Só passar roupa que não passo por motivos de falta de habilidade e preguiça. Comprei aqueles steamers pra quebrar um galho nas camisas finas e só. De resto também nem tenho roupa que amassa muito então já era. 😉

  • Reply Lec 25 de agosto de 2015 at 17:24

    Passar roupa é algo que não consta na minha vida. Nem ferro tenho em casa. Lavo e penduro tudo em cabides, que já seca mais lisinho 😀
    Também já desisti da casa limpa, porque a gente acaba de faxinar e lá tem 8765 fios de cabelo no chão.
    Mas ainda com todos os problemas, não trocaria morar sozinha por nada <3

  • Reply Ananda 26 de agosto de 2015 at 15:49

    Só desgraça, mas deu uma vontade!
    Eu fico pensando o que acontece na vida da gente que chega uma hora que estamos tão bem e confortáveis na casa de mamãe que falamos “ah não, vou morar sozinha!” pra que, gente? pagar conta, cozinhar todo dia, limpar a casa toda, sai pra lá! Mas eu queeeeeero, ahahaha
    E é isso aí, menina, bota esses homi tudo pra trabalhar, que negocio é esse, han!
    🙂

  • Reply Ana 27 de agosto de 2015 at 13:29

    Casa limpa é utopia. Sério, a minha só fica limpinha nas poucas horas depois da faxineira ir embora e eu acordar no dia seguinte. Isso se eu não for cozinhar no dia, porque aí acabou-se. HAHAH.

  • Reply Bessie B. 27 de agosto de 2015 at 16:21

    Adoro esse tipo de post! Principalmente quando me identifico rs. A maior frustração da minha vida é a casa não ficar limpa por mais de 30 minutos. Estamos considerando uma Roomba para ajudar nessa questão, mas não sei se vai ser tão mágico assim, mas bem que podia né?:( E meu, os gastos são eternos. Não sei como tem gente que viaja e mora sozinho UAHUAHUAHUAH Sobre passar roupa, aqui não temos o hábito, mas penso bastante em comprar os “ferros a vapor”, já ouviu falar? É um pouco mais caro que o comum, mas não tem dor nas costas. Beijos <3 <3

  • Reply Clica aí, colega! #23 - Ana CarôAna Carô 28 de agosto de 2015 at 09:28

    […] a receita das fátias húngaras que a avó dela faz e eu tô aqui lambendo a tela. :O – Tem coisa que a gente só aprende ou entende quando vira dona de casa, seja morando sozinha ou acompanhada. A Amanda demorou só um mês para compreender algumas coisas […]

  • Reply Chell 28 de agosto de 2015 at 10:02

    MARAVILHOSO esse post!!!
    Eu super AMO ir no supermercado. Eu e o noivo vamos juntos e vira e mexe compramos algo novo pra experimentar, mas tem gente que ODEIA! hahahaha
    Sobre as roupas: eu não passo roupa =O mentira, mas não tenho o hábito de colocar tudo numa pilha e passar em um dia da semana, como minha avó fazia. Eu penduro elas com jeito no varal e depois já tiro dobrando certinho e guardo. Tem roupa que só de guardar amassa, então eu passo só na hora de usar. =D

  • Reply Sarah Braga 1 de setembro de 2015 at 00:03

    Acho que ter uma casa, só sua ou compartilhada com alguem tão especial deve ser uma das melhores experiências da vida.
    Dentro de mim tenho um desejo muito grande de passar por isso. Você enxerga as coisas com outro olhar, descobre que não tem prazer naquilo que achava que tinha, descobre prazer em coisa que nunca imaginaria que teria, etc.
    Que bom que no final vocês achem isso algo incrível. Que seja assim nos vários meses que existe a frente na vida de dois.

    Beijos.

  • Reply Amannda Vitorino 4 de setembro de 2015 at 09:39

    Concordo plenamente com tudo o que você disse. Pensei que fosse só a minha casa que nunca para limpa, gosto tanto de limpá-la e deixar tudo bem arrumadinho, mas ela se desarruma e se suja como em um passe de mágica. Sabe qual é a regra número um aqui de casa? Quem cozinha não lava a louça.
    Simplesmente adorei a postagem.

  • Reply Helê 6 de setembro de 2015 at 05:01

    Acho que deveríamos começar um movimento do tipo ” aceitação às roupas amassadas no escritório” 🙂

  • Reply Dai Castro 9 de setembro de 2015 at 17:16

    Acabei de conhecer o seu blog e já estou adorando <3 Sobre esse post concordo com cada um dos itens que você levantou. O meu primeiro mês morando com o namorado foi meio assustador, até tentei limpar a casa todos os dias ao chegar do trabalho (tipo limpar o chão de todos os cômodos, lavar louça, ajeitar o banheiro, cozinha…. etc) mas logo vi que as coisas não funcionavam desse jeito! Hoje, quase um ano juntos, estamos mais acostumados, dividimos as tarefas e tentamos manter a casa minimamente organizada durante a semana, sem tanta paranoia hehehe! Mas como você falou, não tem nada melhor do que o nosso cantinho! Beijos!

  • Reply Dani 14 de setembro de 2015 at 20:38

    Você aprende rápido, miga.

    Se eu tivesse que fazer um daqueles posts do tipo “coisas que você deve saber antes de se tornar dono de casa”, certamente estes itens estariam nele. O básico tu já sabe, já descobriu. Ainda vai aprender muita coisa, mas a maioria vão ser coisas mais específicas, como a melhor forma de fazer certas coisas, a forma como você prefere administrar outras, etc.

    Moro sozinha há quase seis anos e sei como é difícil e maravilhoso ao mesmo tempo. Para mim, acho que foi até um pouco mais complicado, já que fiz isso mais novinha, imatura e inexperiente e completamente sozinha, já que me fui morar sem namorado, nem roomates, numa cidade na qual eu até então nunca havia ido e onde não conhecia ninguém. É foda, mas a gente vai aprendendo a ser gente grande. <3

    Boa sorte nesta nova fase, miga! E se precisar dum conselho de veterana nas artes de morar sozinha (hahaha), conta comigo. Se precisar dum ombro virtual amigo pra qualquer coisa também. Estamos aí.

    Beijocas,

    Dani

  • Leave a Reply