Instagrão

  • No tava crendo no quanto o mar estava maravilhoso dahellip
  • kombucha  morango  gengibre
  • quando a tpm fala mais alto e a sua amigahellip
  • nosso menino de v
  • meu de estimao
  • Que experincia incrvel! Nunca pensei que eu era uma perahellip
  • beautiful coffee stay with me
  • quando a gente se encontra sempre  como se ahellip
Explore

Mandy na Cozinha

Mandy na Cozinha

Mandy na Cozinha: Nhoque de Frigideira

26 de agosto de 2015

Sempre disse que sou italiana no coração, porque não há amor maior do que o meu por massas, queijos, tomate e afiliados. E uma das coisas que eu mais amo comer, na vida, é o tal do nhoque. Pra mim, é a perfeição das massas, porque além de ter trigo, ele tem batata. E, como sabemos, batata é amor.

Só havia um problema: eu não conseguia fazer nhoque. Simplesmente não saía. As batatas daqui do Brasil, como quem já tentou fazer nhoque algum dia deve saber, são EXTREMAMENTE úmidas e liberam/absorvem muita água. Portanto,  era apenas impossível fazer algo que não se desmantelasse numa massa disforme depois do cozimento. Na verdade, a deformidade começava até antes de cozinhar. Era de chorar.

Mas, não mais.

Esse fim de semana tentei umas técnicas diferentes que resultaram num prato de nhoque tão bom que tive que vir aqui dividir com vocês. Depois de me inspirar com um episódio de Masterchef onde a Jiang faz um prato de nhoque de mandioca, assado na frigideira, resolvi testar a técnica e ver se funcionava na minha casa. E o resultado é essa coisa linda, abaixo:

Nhoque de Frigideira

I know, right? Então, cola em mim que é sucesso! Vamos à receitinha (estou dando a quantidade para uma refeição pra duas pessoas, se quiser fazer pra mais, é só se jogar nas batatas):

4 batatas de tamanho médio;
1/2 xícara de farinha de trigo (aproximadamente);
Sal a gosto;
Manteiga para untar.

 O pulo do gato dessa receita é a forma de cozinhar as batatas. Que é no microondas! Além de deixar as batatas mais sequinhas, essa maneira é muito mais prática que o tradicional cozinhar na água. Você vai fazer assim: descasque as batatas, corte em cubinhos (para cozinhar mais rápido), coloque em um saquinho desses de supermercado (que são a mesma coisa de saquinhos para microondas), dê um nó e faça uns furinhos nele que o vapor possa sair (3 de 1 cm, mais ou menos, são suficientes). Daí você põe no microondas, em potência alta, por 4 minutos e, tcharam! As batatas estão cozidíssimas. Você pode testar o tempo no seu microondas, já que a potência de cada um realmente varia, mas no meu foi bem de boa esse tempo.

Com as batatas quentes, esprema-as e passe para uma tigela, temperando com o sal. Depois, você pode ir adicionando a farinha. Eu coloquei 1/2 xícara lá em cima, mas na realidade a quantidade de farinha é a suficiente para você transformar sua batata em uma massinha que você consiga trabalhar. Cada batata é diferente, então se você achar que já está consistente, não coloque mais. É muito importante misturar BEM a farinha com a batata, e tanto o exterior quanto o interior da massa não ficar com pedaços isolados de farinha, porque isso compromete o sabor do prato.

Depois de adicionar farinha o suficiente para a massa não grudar na mão, você enfarinha uma superfície (novamente, sem exageros, pois a massa não deve grudar nesse estágio) e faz os nhoques no formato que você quiser. Eu gosto dos meus retangulares, então fiz rolinhos com a massa, amassei e cortei com a faca. Prestem bastante atenção para não deixar restos de farinha no exterior do nhoque, senão ele vai ficar com gosto de farinha crua. Ele precisa ficar com uma consistência e cor homogênea.

Depois de cortados no formato desejado, passe os nhoques para uma frigideira quente e untada com manteiga, dourando cada nhoque de ambos os lados. Daí é só acompanhar do molho de sua preferência (pra mim, sempre tomate) e ser feliz! <3

Mandy na Cozinha

Mandy na Cozinha: Banana Pancakes

29 de abril de 2015

(eu podia ter colocado o nome em português, mas daí vocês não lembrariam da música de Jack Johnson, né?)

Então, gente, domingo passado, depois de muita insistência do bofe, eu fiz um prato que já tem tudo para se tornar um clássico dos fins de semana: panquecas de banana. São aquelas conhecidas panquecas americanas, porém com um plus: banana na massa. Fica tão gostoso que dá vontade transformar todos os dias em sábados e domingos, só pra tê-las com a gente todas as manhãs. E aí achei que podia vir aqui dividir minha receita com vocês, né?

Pois bem, vocês vão precisar de:

1 xícara de farinha de trigo sem fermento;
2 colheres de chá de fermento;
1/4 de uma colher de chá de sal;
1 colher de sopa de açúcar;
1 ovo batido (não precisa sem em neve, apesar precisa misturar a clara com a gema);
2 colheres de sopa do óleo vegetal de sua escolha (menos azeite, gente);
1 xícara de leite;
2 bananas amassadas;
1 colher de chá de essência de baunilha.

Misture o ovo batido, a banana amassada, o óleo e o leite em uma tigela. Reserve. Misture a farinha, o fermento, o sal e o açúcar em outra tigela. Reserve. Adicione o conteúdo da tigela do ovo à tigela dos ingredientes secos e vá misturando. A massa vai ficar com alguns calombinhos, é normal, só se preocupe em deixá-la homogênea. Quando a massa estiver pronta, é só assar as panquecas. A quantidade ideal de massa para cada panqueca é 1/4 de xícara e, de óleo para fritar as panquecas, 1 colher de sopa. Procure repor o óleo da frigideira, entre uma panqueca e outra, para que as panquecas fiquem douradas ao assar. Depois, é só colocá-las em papel toalha, para secar, e fazer o seu montinho do amor, com seus toppings favoritos. As de domingo foram com leite condensado e morango, apenas vida. <3

Já fiz algumas vezes e sempre fica sensacional. Não é nada trabalhoso e, se você tiver uma frigideira grande, dá pra fazer várias ao mesmo tempo, o que economiza MUITO tempo. E as possibilidades de toppings são infinitas: açúcar, mel, geléia, frutas, leite condensado, doce de leite e tudo o mais que você quiser. É só soltar a imaginação e montar as suas panquecas à sua moda.

Curtiu? Vai testar? Comenta!

Mandy na Cozinha

Mandy na Cozinha: Petit Gâteau de 8 minutos

6 de fevereiro de 2015

Petit-gatêau de emergência
Outro dia soltei lá no Twitter que tinha encontrado a forma mais simples e prática do mundo de fazer petit gatêau e acreditava seriamente que tinha vencido na vida. E como várias coleguinhas demonstraram interesse no meu método mágico (aham) e defenderam que não era justo que eu não o dividisse, escolhi vir aqui no blog comentar com vocês dessa façanha maravilhosa porque: é um serviço de utilidade pública e vai mudar a vida de vocês.
Estou eu andando de boa no supermercado, matando hora entre um compromisso e outro, quando dou de cara com uma coisa maravilhosa, no corredor que guarda as massas de bolo. Essa coisa MARAVILHOSA aqui. Olha, gente, na hora olhei duas vezes e não acreditei que houvesse such a thing as massa pronta para petit gâteau, mas: tem. E: funciona. Funciona lindamente. Antes que alguém pense: não, isso não é publieditoral. É só eu dividindo uma coisa muito maravilhosa com vocês e que vai salvar qualquer fim de semana do tédio completo e inexorável. Vai dar aquela moral pra qualquer jantarzinho mais ou menos que você fizer. Vai te colocar no pódio das mulheres que trabalham, têm hobbies e ainda conseguem arranjar tempo pra fazer um petit gâteau amor nessa vida. Shhh, para de gritar de emoção, senão as inimigas vão saber dos truque tudo. O que você vai precisar é:

  1. Forminhas de Empada – quanto mais funda, melhor;
  2. Manteiga e Farinha para untar e polvilhar nas forminhas;
  3. 1 pacote de massa para petit gâteau;
  4. 1 ovo;
  5. 3 colheres de sopa de manteiga derretida;
  6. 3/4 de uma xícara de leite gelado.

O modo de fazer, como vocês devem ter imaginado, é bem simples. Você mistura, primeiro, a massa com o ovo e a manteiga derretida. Depois, vai adicionando o leite e misturando na massa sem bater. Daí é só colocar a massa nas forminhas de empada (untadas e polvilhadas com farinha) e pôr pra assar, no forno pré-aquecido na temperatura máxima, por 8 minutos. CUIDADO pra não passar desse tempo, porque aí adeus creminho gostoso escorrendo bolinho abaixo. Quando fiz aqui em casa, fiz 5 porções e sobrou bastante massa, que eu guardei na geladeira, para bolinhos posteriores e, ó, não teve problema. Então se você tá aí pensando que vai fazer massa demais só pra você, você pode fazer e guardar na geladeira. Creio que 1 semana é um chute seguro. Se você quiser guardar por mais tempo, é por sua própria conta de risco, ha.

Gente, petit gâteau em 8 minutos! 8 MINUTOS. Vocês acham isso tão incrível quanto eu acho? Sempre achei essa sobremesa a coisa mais cheia de dedo do mundo pra fazer e eis que tem uma massa pronta que faz isso e Brownie (ainda não testei, mas testarei em breve e conto aqui)! E olha, sinceramente: não perde pra nenhum dos que eu comi por aí, tá no mesmo nível. Além de quebrar um galho enorme.

Petit Gâteau de 8 minutos
Podem dizer, não é a coisa mais maravilhosa desse universo todo? Ah, Fleishman, não sei quem teve essa ideia, mas ó, tá de parabéns.

Mandy na Cozinha

Matando a saudade de Londres: Frango do Nando’s com pão de alho e purê

24 de janeiro de 2015

Frango Peri-Peri

Essa sexta-feira eu estava de folga do trabalho. E não tem coisa que me dê mais vontade de cozinhar do que estar de folga em um dia de semana, com quase ninguém em casa e a cozinha só pra mim. Resolvi aproveitar e colocar em prática um plano maligno que eu matutava há muito: tentar aprender a fazer o delicioso Frango Peri-Peri. Pra quem não conhece, esse prato é da culinária africana e é o carro chefe de um restaurante muito amor que eu conheci lá em Londres, o Nando’s. Eu amei tanto esse frango que sempre que pensava nele, me dava água na boca e uma saudade enorme de estar em um lugar (Londres ♥) em que tivesse um Nando’s a cada esquina. Como mudar pra Londres tá difícil, porque não tentar trazer pro Brasil uma das coisas que mais gostei lá?

Daí que procurei na internet e achei essa receita aqui, que parecia com o frango que eu havia comido no Nando’s. Mas havia um pequeno problema referente a: ingredientes. Não consegui achar pimenta malagueta em pó (é ao que eles se referem, na receita, como chilli em pó) e não fazia sentido trocar a malagueta por pimenta do reino porque, afinal de contas, não era a mesma pimenta. Daí que resolvi pegar a própria pimenta malagueta, mas num potinho com vinagre. Quanto à parte do frango, recomenda-se que se faça com peito ou coxa – de preferência com um pouco de pele, pra ficar mais gostoso. Não fiz com o frango com pele (peito/coxa) porque o filezinho de frango tava em promoção no Bompreço e, gente, desculpa, mas prioridades, né? Entre outras modificações que fui fazendo ao longo da receita, porque achei necessário. Vou listar abaixo o que eu usei:

– 1 kg de filezinho de frango (mas pode ser também 1 kg de peito ou de coxa);
– 4 colheres de sopa de páprica doce;
– 2 colheres de sopa de pimenta malagueta picada;
– 1 colher de chá de gengibre picado;
– 1 xícara de suco de limão fresco;
– 3 dentes de alho picados;
– Sal a gosto;
Ervas finas em pó a gosto;

Comece descongelando o frango e preparando a marinada, que é o molho peri-peri propriamente dito. Misture todos os temperos numa tigela, exceto o sal e as ervas finas, que eu acho que é melhor aplicar diretamente no frango, ao invés de na marinada, para que o gosto pegue melhor. Enfim, misture o suco de limão, a páprica, a pimenta, o gengibre e os dentes de alho até formarem um molho mais ou menos homogêneo. Você pode bater no liquidificador, se quiser, mas eu fiz com os pedacinhos de alho, pimenta e gengibre à mostra mesmo. Passe o sal e as ervas finas nos pedaços de frango e coloque-os no caldo de temperos que você fez. Você vai deixar o frango marinando (descansando) nesse molho por, no mínimo, três horas. Você pode fazer isso no dia anterior ao que vai usar o frango, assim não vai ter um tempo de preparo tão longo no dia de cozinhá-los em si. Passada as 3 horas, retire-o da marinada, deixando-o pingar o excesso de líquido, e asse-o em uma churrasqueira, uma grelha ou um grill. Quando pronto, ele deverá estar bronzeadinho e picante, como o da foto abaixo.

Frango Peri-Peri

Esse prato é amor pra quem curte coisas apimentadas na dose certa. Eu nem sou tão fã assim de coisas quentes e amo esse frango, então, sim, é amor real, amor verdadeiro. <3 O acompanhamento ideal para esse frango, na minha opinião, era o que eu pedia lá no Nando’s, que é purê de batata (suspiro) e pão de alho (duplo suspiro). O purê de batata equilibra a crocância e quitchura do frango e o pão de alho é, simplesmente, amor. Eu acho que não preciso ensinar vocês a fazer purê de batatas (mas, se tiverem dúvidas podem deixar nos comentários), por isso nem fiz foto especial dele pra esse post. Só uma dica: tentem, um dia desses, fazer o purê de vocês só com batata e manteiga (com sal, por favor) e depois me falem o que acharam. Eu apenas AMO e esse era o purê que era feito no Nando’s, até onde eu pude identificar.

Já as torradinhas de alho dele (prefiro chamar assim, porque pão de alho aqui no brasil tende a ser bem diferente desses que eu fiz) resolvi dividir com vocês, porque até eu, que costumava odiar alho (e ainda odeio, em algumas comidas), virei fã desse acompanhamento e pedia SEMPRE quando estava lá. E é tão fácil! Você vai precisar de:

– Pão Italiano
– Manteiga
– Queijo ralado
– Alho amassado
– Salsa

(ou você pode substituir esses dois últimos ingredientes por um temperinho da Kitano que já vem com alho e salsa e que foi o que eu usei dessa vez)

Corte o pão em fatias médias (nem muito fina, pra não quebrar, nem muito grossa, para não ficar difícil de comer). Reserve. Pegue 1 pote de manteiga (eu misturei tudo no próprio pote de manteiga, pra evitar sujar mais louça, sô ixperta) e misture o alho e a salsa.  A quantidade desses dois ingredientes depende muito do gosto da pessoa que está fazendo a torradinha. Eu, como não gosto que o pão de alho fique com um gosto tão evidente, não polvilhei tanto do temperinho na manteiga, apenas o suficiente pra se fazer notar. Também peguei leve no queijo, porque afinal de contas, é torrada de alho, não de queijo. Consegui equilibrar suficiente o gosto (pra mim) com meio pote de manteiga (com sal), duas colheres de chá de tempero e duas colheres de chá de queijo.

Pão de Alho

Depois de misturar os temperos, é só passar o mix nas fatias de pão e colocá-las em um forno pré-aquecido a 180ºC e esperar até que elas fiquem bem tostadinhas e crocantes. Eu fiz as minhas no grill, já que já o tinha pré-aquecido para o frango, e elas levam uns 3 a 5 minutos para ficarem prontas e perfeitas. Tipo assim:

Torrada de Alho

Agora é só servir o seu frango com torradinhas de alho e purê de batatas e ser feliz, porque é gostosura certa! ♥