Listas – Amanda Arruda
Browsing Category

Listas

Casa & Decor, Listas

10 perfis do Instagram para te inspirar na decor

Eu gosto de coisas bonitas, gente. Não o bonito pelo bonito, mas pra mim o funcional também tem que ser agradável ao olhos. Por isso, meu instagram é sagrado: só entra pros meus seguidos perfis queridos e/ou com um feed muito lindo. E uma das categorias que eu mais gosto de garimpar coisas bonitas é a de decor, parte porque estou nessa luta para terminar de mobiliar e decorar a minha casa, parte porque conhecer interiores é conhecer um pouco da vida das pessoas e vocês já sabem que eu sou essa pessoa que gosta de conhecer um pouco das outras, por meio nem sempre óbvios, né? A gente se sente menos sozinho no mundo dessa maneira.

Anyway, hoje estou aqui porque resolvi dividir com vocês os meus 10 perfis de decor (ou que compartilham muito desse assunto) favoritos, para tornar a vida (e o feed) de vocês mais inspiradora e bela. Thank me later. (:

♦♦♦

@decorimpos:

Sabe quando a gente precisa de inspiração para saber o que fazer naquele último cômodo complexo da casa? Taí a chave. O @decorimpos é um perfil cheio de fotos lindas, escolhidas com visível cuidado e bom gosto. Eu amo tudo nesse perfil e fico querendo que todas as coisas que aparecem nele fosse parar, automaticamente, na minha casa (como, por exemplo, essa linda SMEG, mas francamente, ONDE ELA CABERIA?). Maravilhoso!

@historiasdecasa:

Não sei se vocês conhecem o blog desse perfil, mas se não conhecem, conheçam! É um blog lindo, que conta histórias de vários cantinhos (daí o nome). Pra quem gosta de um estilo mais orgânico, esse é o perfil. Diversos lares lindos de gente como a gente, que faz a gente pensar que a gente pode fazer algo lindo na nossa casinha também. <3

@the_home_edit:

Ok, esse é mais um perfil de ideias de organização para cantinhos do que de decoração, em si. De qualquer forma, coisas organizadas são sempre mais bonitas, né? Esse perfil dá várias ideias de organização para espaços e nos inspira a dar um jeito naquela mesa que está sempre acumulando coisas (true story).

@lovehomeinterior:

Tudo aqui é LINDO. LINDO! Eu poderia, de fato, viver nesse feed. São ambientes com uma pegada meio escandinava (que é o que mais amo em termos de decor) e cuidadosamente escolhidos de forma que não tem UMA FOTO que não faça com que eu queira ser rica para ter tudo aquilo que esse perfil compartilha. Eles geralmente compartilham fotos de outras pessoas, portanto é uma ótima maneira de encontrar novas fontes de inspiração, as well.

@scandinavianhomes:

Então, como o próprio nome já diz, esse é um perfil que posta fotos de casa no estilo scandi. O dono do perfil é designer de interiores e publica fotos de seu próprio trabalho em algumas casas. É tudo muito limpo, discreto e funcional, mas com aqueles detalhezinhos que dão vida à casa, sabe? Um amor, pura inspiração!

@nordikspace:

Ok, gente, eu admito: eu queria viver na Suécia, com seus pisos de madeira, seus pés-direitos altos e suas paredes de tijolos brancos. Não tem como negar. Esse é mais um perfil com influências escandinavas, puramente inspiracional. O perfil compartilha fotos de outros perfis, então se você é aloka dos perfis scandi, que nem eu, essa é mais uma fonte maravilhosa.

@kate.lavie:

Essa é uma blogueira escocesa que eu acompanho há algum tempo, já. Ela sempre está fazendo alguma modificação na decoração da sua casinha e postando, tanto no blog quanto no feed do Instagram, então tem sempre fotos lindas de interiores por lá. A casa dela é realmente maravilhosa e ela tem um gosto muito similar ao meu, então já tirei algumas ideias de lá. (:

@theassemblyhome:

Esse é um perfil de uma loja online, mas gente: quanta coisa linda! Quem dera eu não tivesse mais quebrada que arroz de terceira. Eles fazem trabalhos com cerâmica, madeira e linho e são coisas visivelmente de boa qualidade. No feed deles sempre tem fotos bonitas – inclusive de interiores e festinhas – que podem servir de inspiração para futuros empreendimentos. 😉

@meaganfloris:

Esse é o perfil de uma fotógrafa. Pois é, sigam agorinha mesmo. É lindo e entre flores e lindos trabalhos de caligrafia, temos várias fotos incrivelmente inspiradoras do que parece ser a casinha dela. É lindo demais o cantinho, pelo o que eu vejo pelo feed, e o que eu quero saber é: quando eu vou ter dinheiro prum treco desse? Ficaí o questionamento para a gente se fazer, enquanto scroolamos pelo feed dela.

@calivintage:

Ela é blogueira e tem um feed lindo, cheio de pirrais, verde e interiores inspiradores. A casinha dela é uma mistura entre o clean, mas orgânica, um equilíbrio entre aqueles cômodos que a gente acha que ninguém pode realmente morar e um lar de verdade.

♦♦♦

E vocês, têm algum perfil pra indicar pra mim? Deixem aí nos comentários, porque estou sempre procurando gente nova pra seguir por lá! (:

 

Da rotina, Listas

O que eu quero de 2016

Foto: Jana Martish

Foto: Jana Martish

2016 chegou e quero dizer apenas: segura aí essas expectativas que eu tenho pra você. Adoro esse sentimento de que podemos fazer tudo o que quisermos e que, dessa vez, apenas dessa vez, vamos acertar na mão e aprenderemos com nossos erros.

Esse ano, estou trabalhando em microrresoluções, resoluções pequenas, diretas e específicas, que respondem a objetivos maiores que temos nas nossas vidas. Todo o conceito de microrresoluções está no livro Small Move, Big Change, então quem tiver interesse, pode dar um checada nesse livro (se não me engano, já tem uma versão traduzida sendo vendida aqui no Brasil). Em resumo, são objetivos menores, que especificam o que exatamente precisamos fazer, para chegar ao que queremos. Essas microrresoluções têm a intenção intrínseca de se tornarem hábitos, sendo assim muito mais simples que nós cheguemos onde desejamos. Elas também devem ser fáceis, para que consigamos executá-las e automatizá-las. Por exemplo, se você quer perder peso, deve comer de forma mais saudável e se movimentar mais. Mas, para que você consiga chegar lá, cada uma dessas resoluções (comer de forma saudável e se movimentar mais) deve ser quebrada em várias microrresoluções (comer 1 fruta por dia; comprar um copo grande e enchê-lo de água sempre que secar; usar as escadas 1 vez por dia; caminhar por 20 minutos, três vezes por semana; etc). Também não se deve seguir mais de duas microrresoluções por vez e o tempo que se leva, em média, para habituar-se ao que se treina é de 4 a 8 semanas.

Isso dito, informo que já comecei a fazer as microrresoluções do ano (estão aqui, no meu Listography, pra quem quiser ver – mas ainda não terminei, hein?). Obviamente, não posso começar todas as mesmo tempo, pelo bem do meu foco, então ainda vou eleger as áreas mais comprometidas da minha vida e focar nelas, inicialmente. Com certeza, uma delas será a saúde e o bem estar, em geral, porque estive tão doente ano passado que, definitivamente, parece ser o correto a se fazer. Anyway, de forma geral, eis os objetivos maiores que quero atingir em 2016:

  1. Perder peso e ganhar tônus muscular – de forma saudável;
  2. Gastar dinheiro mais racionalmente, levando em conta as prioridades;
  3. Viajar mais;
  4. Controlar minha ansiedade;
  5. Organizar melhor a minha casa (principalmente o quarto do guarda-roupa, que já está se tornando o quarto da bagunça).

Se eu tivesse que escolher uma palavra para identificar o que eu quero nesse ano, essa palavra seria equilíbrio. Seria maravilhoso encontrar esse equilíbrio  bonito entre diversão e labuta, entre o natural e o que exige esforço.  Inclusive: essa é não apenas a palavra do meu ano, mas também o meu maior desafio.

E vocês, o que esperam de 2016? Comentem!

Da rotina, Listas

5 coisas com as quais meu corpo não sabe lidar

Foto: Roza

Foto: Roza

Dia desses bebi dois dedos de vinho, fiquei bêbada (sim, gostaria de estar brincando), resolvi que isso era inaceitável e vim aqui reclamar pra vocês sobre as coisas com as quais meu corpo, definitivamente, não sabe lidar. Compartilhem, nos comentários, as coisas que o corpo de vocês não sabem lidar e vamos rir (ou chorar) das nossas limitações juntos, haha!

Álcool. Felizmente, eu nunca fui muito festeira e nunca precisei beber para me inserir em nenhum círculo social. Isso posto, há algumas bebidas que eu curto (como vinho, espumantes e algumas cervejas), só que meu corpo realmente não sabe lidar. Tomo dois dedos de vinho e já estou zonza, com sono e perdendo a coordenação dos movimentos.  Tomo uma long neck e já estou babando no ombro do boy. É extremamente humilhante ser tão mole pra bebida, mas né? Já aceitei.

Cafeína. Eu tomo café diariamente, é meio que parte de um ritual para acordar. Chego no trabalho, faço café, coloco na minha caneca (juntamente com leite e bastante açúcar) e começo o dia. Entretanto, essa é a minha única xícara do dia e eu sei que não posso tomar mais que ela, sob pena de ficar com dor de cabeça o resto do dia. Uma vez, quando estava em um momento fitness, inventei de tomar chá verde (que, pelo o que eu soube, tem mais cafeína do que o próprio café) e passei tão mal que desisti pra vida.

Ler no carro/ônibus. Tenho um problema muito sério: não consigo ler no ônibus/carro, sem ficar extremamente enjoada e com dor de cabeça. Simplesmente é algo que eu não posso fazer. Até checar uma mensagem com o carro em movimento me faz passar mal, é simplesmente ridículo. E, pra mim, isso é extremamente triste, porque passo um tempo enorme no trânsito e esse período poderia ser usado pra algo útil. Acredito que o jeito é investir em audiobooks e podcasts como opção para bem usar esse tempo.

Cheiro de vísceras. Sou uma pessoa relativamente sem frescura pra maioria das coisas, mas se o cheiro de algo é abusado eu realmente morro de enjoo e não consigo permanecer no local. Uma das coisas que me fazem torcer o nariz é o cheiro de vísceras em geral. Ainda me lembro quando minha avó cozinhava fígado em casa – eu ia pro quarto e me trancava, porque só o cheiro já me fazia passar mal. No mercado, também tinha abuso de passar na partes das carnes onde ficavam as vísceras, era ridículo.

Exercício. Na verdade, acredito que isso seja obviamente culpa do meu estado sedentário atual. Eu realmente preciso voltar a me movimentar, porque qualquer esforço físico que eu faço me faz suar frio, deixa o coração batendo desabalado e me faz passar mal, no geral. Na época em que eu estava reformando o apê com o boy, até varrer a casa era um esforço que me deixava sem ar e com um sentimento de que algo não estava bem. O plano, agora, é começar a correr no condomínio, porque sem condições de continuar desse jeito.

 E vocês? Também tem alguém fraco pras coisas que eu sou?

Da rotina, Listas

5 coisas que eu faço quando estou me sentindo pra baixo

Créditos: Uraran Momo

Todos nós temos nossos dias, né? Aqueles em que levantar da cama parece incorreto, que tudo está fadado a dar o mais errado possível, porque a nossa realidade é apenas um reflexo do que sentimos dentro de nós. Dia desses tava numa bad vibe e tive essa ideia de dividir com vocês o que eu faço quando estou me sentindo de mal comigo e com o mundo. A gente pode até achar que nada dá jeito naquele momento negativo nosso, mas algumas ações podem, sim, fazer com que a gente, aos poucos, vá entrando nos trilhos de novo.

Então, vamos à listinha:

  1. Organizo e limpo tudo. Pra mim, é muito mais difícil me sentir bem se o meu ambiente estiver desarrumado e sujo. Preciso de alguma ordem do lado de fora, para que o lado de dentro se ajeite também. Portanto, sempre que não estou me sentindo muito bem, faço uma faxina, jogo coisas inúteis fora, limpo, troco os lençóis da cama, reorganizo minha escrivaninha, revejo minha finanças, etc. Qualquer coisa que me faça sentir no controle da minha vida.
  2. Me arrumo. Algumas vezes, quando se está chateado, a pior coisa que se pode fazer é não tentar melhorar o astral. Quando a gente sai de casa se sentindo um bagulho (e SENDO o bagulho), é certeza que o nosso humor certamente não vai mudar pelo resto do dia. Pelo menos, é verdade comigo. Apesar de exigir um esforço sobre-humano e não fazer nenhuma diferença right away, me arrumar direitinho dá aquele up que a nossa auto-estima precisa nesses dias. Venhamos e convenhamos, se não nos sentirmos orgulhosas por um delineado bem-feito, não sei o que nos fará nos sentir assim.
  3. Medito. Meditação é minha recém descoberta paixão. Liberar a mente do pensamentos ruins é meu novo passatempo favorito. Ainda não medito por muito tempo – baby steps, baby steps – mas o tantinho que tenho feito já me ajudou bastante.
  4. Faço algum trabalho manual. Desenhar, cozinhar, lavar os pratos da cozinha – qualquer trabalho manual ajuda. Tem momentos que precisamos de uma prova FÍSICA da nossa utilidade no mundo e é aí que fazer algo com as próprias mãos entra. O único problema é quando a gente tá realmente sem coragem de fazer nada. Aí é quando entra o quinto item dessa lista, que é:
  5. Sento e espero passar. Tem horas que a gente simplesmente está sem energia pra lidar com o mundo – que não é nada fácil, principalmente pra quem é introvertido. Sempre que eu tenho vontade (e posso), fico na minha, lendo um livro, vendo alguma bobagem na TV ou, mesmo, olhando pro teto sem fazer absolutamente nada. Apesar da eterna culpa que nos atormenta depois de passar um tempinho no ócio, algumas vezes é desse ócio mesmo que a gente está precisando.

E vocês, o que fazem quando estão se sentindo meio down? Compartilhem comigo!