Feminices – Amanda Arruda - Página: 3
Browsing Category

Feminices

Cabelo, Feminices

Guia rápido da transição capilar

(o cabelo acima obviamente não é meu, quando eu estiver com vontade/coragem tiro foto pra mostrar pra vocês)

Meu cabelo é cacheado e foi naturalmente assim até meus 14/15 anos, quando resolvi começar a alisá-lo. O porquê disso é resultado de uma série de fatores que as cacheadas vão entender bem: queria muito me encaixar no padrão dominante (o liso que todo mundo considerava elegante e bonito) e não sabia cuidar muito bem do meu cabelo (por isso, pensava que o mesmo era muito instável e imprevisível). Pois é. Por essas razões passei anos e anos dando progressiva no cabelo, alisando com secador/chapinha e sofrendo com o cabelo quebrado/seco/super danificado por todos esses processos. Mas, ainda assim, achando que era  muito mais fácil viver assim que aceitar o meu cabelo naturalmente cacheado.

Esse ano, li alguns posts da Gabi, do Teoria Criativa, sobre a volta dela aos cachinhos e me inspirei. Passei 6 meses sem dar progressiva, em transição capilar. Porém bati naquela velha parede que todas que entram em transição conhecem MUITO bem: lidar com as duas texturas no cabelo (a lisa e a cacheada) não era fácil. Na época, não pesquisei tão bem e nem dei muito subsídios para que o cabelo retornasse, aos poucos, à sua textura natural, o que fez com que o cabelo continuasse seco, sem vida e muito estranho. Daí terminei desistindo e tendo uma recaída na progressiva de novo. Aceitei que aparentemente aquela era a minha vida mesmo e segui.

Daí, há um mês atrás, encontrei uma amiga que estava em transição há 1 ano e alguns meses e terminei me inspirando novamente a recomeçar a transição. Dessa vez, munida de bastante informação (obrigada, amiga!) e aderindo, também, a dois processos que se mostraram essenciais pra mim: o low poo e o cronograma capilar. E, deixa eu contar pra vocês: está sendo MUITO mais fácil do que da primeira vez que eu tentei. E eu tenho certeza que esses dois processos que estou fazendo juntamente com a minha transição estão ajudando demais. Por isso, resolvi aqui fazer um guiazinho bem direto ao ponto pra quem quer entrar em transição capilar, mas não sabe nem pra onde vai. Essa aqui é só uma introdução, viu? Depois, possivelmente, entrarei mais a fundo nesse mundão complicado que é esse nosso.

FIRST THINGS FIRST 

(o que você deve saber antes de começar)

  1. Não é fácil, porque você não vai apenas mudar o seu cabelo (no caso, fazê-lo retornar ao natural dele), você vai ter que mudar a sua forma de ver o seu cabelo. Porque, acredito, havia uma razão pra você ‘alisar’ o seu cabelo antes e, geralmente, isso tem a ver com o que nós achamos do nosso próprio cabelo. Se você antes achava que cabelo cacheado era feio, vai ter que lutar não apenas com o seu cabelo em transição, mas com esse tipo de pensamento. E, além de tudo, também vai ter que lidar com comentários das pessoas à sua volta (porque você sabe que sempre tem alguém pra falar alguma coisa desnecessária, né?). Pra mim, a dificuldade maior da transição é transformar, na minha cabeça e nas dos outros, o que era considerado ‘feio’ em, apenas, ‘diferente’.
  2. Não é rápido. Transição demora, a não ser que seu cabelo cresça super rápido ou você faça o BC (big cut, que significa, simplesmente, cortar toda a parte do cabelo que tem química). Então, sim, você terá que se munir de muita paciência e esperar, porque cabelo cacheado enrola, então o crescimento é ainda mais difícil de ver.
  3. Você não é obrigada. Não é porque você nasceu com o cabelo cacheado que você PRECISA ter o cabelo cacheado, ok? Não se sinta na obrigação de fazer um processo tão difícil quanto a transição só porque ‘todo mundo está fazendo’ se você gosta de ter o cabelo liso e não vê problema em fazer progressiva/relaxamento para conquistar o cabelo do jeito que você quer. Vai do gosto de cada um, então lembre-se que o cabelo É SEU e você faz o que você quiser nele, ok? Ok.
  4. Você precisa se informar. Acho que antes de fazer qualquer coisa, a gente deve se munir de MUITA informação sobre assunto em questão. Foi nisso que eu falhei da primeira vez que eu tentei fazer transição e o processo está muito mais tranquilo, agora que eu tenho mais conhecimento de causa. Então busque todas as informações que for possível. Eu indico grupos para onduladas/cacheadas/crespas, blogs sobre o assunto e Youtubers. No meu caso, os grupos de No/Low Poo também me ajudaram muito.

 

 INICIANDO A TRANSIÇÃO

(como fazer, o que fazer)

  1. Primeiro, pare de fazer qualquer coisa que esteja alisando o seu cabelo. Por razões óbvias, você não pode dar mais progressiva no seu cabelo, se quer que ele volte pra forma natural dele. É uma boa ideia também parar com escova/chapinha, pois apesar dos processos não promoverem um alisamento permanente, eles ajudam os fios a perderem seu formato natural e danificam o cabelo.
  2. Procure uma maneira de tratar melhor os seus fios. Eu indico, de coração, a técnica Low/No Poo e o cronograma capilar, mas obviamente você deve buscar o que funcionar pra você. Só digo que, gente, tô há pouco menos de um mês no Low Poo e meus cabelos estão MUITO mais saudáveis, não tem comparação! Também estão muito mais fáceis de texturizar, o que é um bônus maravilhoso. Já o cronograma capilar serve para recuperar cada cabelo de acordo com as necessidades dele e também tem ajudado bastante meus fios a se mostrarem mais bonitos, fortes e brilhantes. Como não abordarei em profundidade esse assunto aqui no post, fica a dica de textos ótimos da Aninha, do Madly Luv, sobre o Low Poo e o Cronograma Capilar.
  3. Descubra as melhores maneiras de texturizar o seu cabelo. Tem vídeo de tuia, no Youtube, sobre maneiras de criar cachos a frio. No meu, atualmente, eu não faço nada muito elaborado, só passo creme, penteio e amasso bastante. Entretanto, você vai descobrir que existem várias técnicas, simples e complicadas, que entregam resultados diversos. Vale checar e testar várias, para definir bem qual vai encaixar melhor com o seu cabelo e na sua rotina.
  4. Escolha os produtos de acordo com a sua necessidade. Cada tipo de cabelo tem um tipo de necessidade. Um cabelo cacheado requer, provavelmente, um creme de pentear diferente de um cabelo crespo, que também não vai ter muito a ver com o que precisa um cabelo ondulado. Portanto, pesquise bem  e teste, teste, teste até achar o creme que vai responder ao que você necessita. Acredito que uma cacheada com o meu tipo de cabelo (2C, 3A) vai precisar de: shampoo, condicionador, máscara de tratamento (algumas), algum creme/gel para finalizar o cabelo e talvez algum óleo. Claro que tudo isso pode mudar, por isso que a chave é pesquisar MUITO e, também, testar no seu cabelo.
  5. Defina suas musas inspiradoras. De forma geral, acompanhar várias cacheadas e ficar ligada nas dicas delas é legal. Porém, na minha opinião, você precisa focar em quem: tem um cabelo parecido com o seu e, dentro disso, quem tem um estilo de cabelo que casa com a sua personalidade. Ou seja: não adianta se inspirar nos looks de uma 4A (confere aqui os tipos de cabelos) se teu cabelo é 2C.  Também não adianta colocar como musa alguém que tem um estilo de cabelo muito diferente do que o que você almeja. Se você ama volume, procure alguém que ame também para acompanhar e pegar as dicas. É bom procurar inspiração em um tipo de cabelo compatível com o seu, para não ter frustração por não conseguir resultado.

DICAS DA MANDY

(coisas que eu testei/recomendo)

  1. Produtos: Ainda não testei muitos produtos (como eu disse a vocês, comecei recentemente o processo de transição), mas já descobri algumas coisas que funcionam no meu cabelo. Um creme que eu testei e achei SENSACIONAL foi o Milagre Diet, da Lola. Ele vem em um pote, com 400g e a proposta é direcionada para as meninas em transição, o que eu acho que faz toda a diferença.  Ele ajuda DEMAIS a definir os cachos/ondas e segura a definição como ninguém! Só que precisa dosar a quantidade, senão fica pesado e muito duro (a ponto de você não conseguir amassar o cabelo depois e desfazer o ‘efeito molhado’). Também gostei demais do condicionador Perfeitamente (Des)arrumado, da Tresémme. Usei como condicionador e finalizador (sim, gente, vocês podem usar condicionador como finalizador. Aprendam e libertem-se) e o cabelo ficou super macio e cheiroso. O único ponto negativo é que o poder de definição dele não é tão bom quanto o do Milagre Diet. Atualmente, estou usando várias máscaras de tratamento diferentes, mas a que eu mais gosto é da Humecta, da Head and Shoulders, porque hidrata sem pesar e tem um cheirinho ótimo.
  2. Técnicas de Finalização: As únicas que testei, até agora, foram a fitagem e o dedoliss e a que funcionou melhor comigo foi a primeira. Acho, inclusive, que todo mundo gosta mais da fitagem, porque é mais prática e rápida. Atualmente deixo o cabelo secar ao ar livre depois da fitagem, mas ouço falar que secar com o difusor ajuda bastante a definir os cachos. Ainda não tenho difusor, então não sei dizer.
  3. Acessórios: Sou bff dos grampos, porque eles realmente salvam quando o cabelo não quer colaborar. Faixinhas também são amor, mas ainda não consegui adicionar ao meu dia-a-dia, porque sempre acho que estou chamando muita atenção e não consigo usar (ai, ai).
  4. Canais no Youtube: Finalmente entrei na vibe do Youtube (todos dizem aleluia) e acho que não tem nada mais prático do que vídeos quando a gente tá falando de cabelo, maquiagem e coisas do tipo, né? Portanto, não tenho sites pra indicar pra vocês, só canais, já que está sendo aí mesmo que eu tô adquirindo todas as informações que eu preciso. Alguns dos canais que eu vou indicar têm blog (não sei dizer se todos têm), então quem preferir a informação por escrito, pode checar direitinho. Na categoria cabelo cacheado, acho os seguintes canais muito instrutivos: Daianne Possoly, Duda Fernandes, Mari Morena (♥), Nathalie Barros e Rayza Nicácio. Conforme o coraçãozinho mostra, o meu canal favorito atualmente é o da Mari Morena. Acho os vídeos da Mari muito mão-na-roda pra quem tá iniciando os trabalhos cacheados e não sabe bem pra onde ir. Ela explica tudo bem direitinho, gosto demais.

MINHAS INSPIRAÇÕES

(onde eu almejo chegar)

Fotos: Pinterest

Fotos: Pinterest

Lindos demais, né? O meu cabelo ainda vai demorar bastante pra chegar aí (essas ondinhas sempre demoram pra crescer) e ainda vão ter muitas tesouradas no caminho para tirar a química (aos poucos, porque não tenho culhões pra BC), mas o que importa é aproveitar a jornada, né? <3

Curtiram o post? Têm alguma dica ou dúvida? Deixa aí nos comentários! (:

Feminices, Pele

Gel de limpeza do amor: Dermotivin

Dermotivin Original

Fazia um tempinho que eu era fiel ao gel de limpeza para peles sensíveis da Effaclar – creio que usei esse por muitos anos, tanto porque gostava dele quanto porque amava o cheirinho suave que ele deixava na pele. Até que eu li o livro The Beauty Bible e descobri que ele, meu gel de limpeza favorito (até então) continha, no começo da sua lista de ingredientes, SLS (um ingrediente altamente irritante). Isso explicava todas as vezes que a pele perto do meu nariz descamava e porque, apesar dos meus cuidados, limpar e hidratar minha pele não parecia acalmá-la nem impedi-la de voltar sua fúria oleosa para mim.

Desde então, estive à caça de géis de limpeza que não contivessem agentes irritantes, mas que fossem pra pele oleosa. O que, acreditem, não é uma tarefa fácil, porque as empresas de cosméticos acreditam que pra limpar pele oleosa tem que jogar todo sabão do mundo nela. E não é bem assim, né? Minha pele, por exemplo, apesar de oleosa, é sensível, e não aguenta essa agressão toda não. Além do quê tem aquele velho e bom efeito rebote, né? Limpar demais a pele faz ela produzir muito mais óleo depois (e acne, se você for propenso a isso). E acredito que isso aconteceu comigo por um bom tempo. Enfim. O fato é que pesquisei, pesquisei, pesquisei e achei o Dermotivin Original, para peles mistas a oleosas, que milagrosamente não tem nenhum ingrediente agressivo em sua fórmula (pelo menos, nenhum dos que eu conheço).

O Dermotivin é um gelzinho azul/verde que não espuma e limpa muito suavemente a pele. Tendo como ingredientes principais extratos de calêndula e aloe vera, é fácil entender o porquê desse gel de limpeza não deixar a pele esticando depois: ele hidrata enquanto limpa, deixando o rosto com jeitinho de limpo, mas sem exagero. O cheirinho é muito bom (embora o  do Effaclar ganhe de lavada) e suave, ficando na pele apenas enquanto você está lavando o rosto.

Com o uso, notei minha pele muito menos irritada e, também, com a oleosidade controlada. Apareceram poucas espinhas, desde então, apenas no meu período pré-menstrual (o que é de praxe) e pouquíssimos cistos (tenho uma tendência medonha para esses). De forma geral, minha pele se deu muito bem com esse produto, acredito que era realmente uma das coisas que estavam faltando na minha rotina diária.

Eu comprei uma bisnaga de 70ml, para testar, mas existem vários tamanhos disponíveis. A minha eu comprei na Drogaria São Paulo da Rosa e Silva (no Bairro das Graças, aqui em Recife) e custou cerca de R$35. A minha está quase no fim já, acredito que vá durar só até o fim do mês. Infelizmente, esse tipo de gel (que não espuma) não dura tanto quando o que espuma. Tento não exagerar na dose, coloco pouquinho, mas como não espuma, preciso colocar mais para limpar direitinho. Vou testar, depois, a opção foam desse mesmo gel (onde rola uma espuminha), para ver se dura mais um pouquinho que esse.

Resumindo: Dermovitin aprovadíssimo e já totalmente inserido na minha rotina diária. E vocês, qual o gel de limpeza do coração? Conhecem algum outro sem agentes agressivos à pele? Deixem as dicas nos comentários!

Feminices, Parceiros

Glambox de Maio: NUSPACE

IMG_2808
No finalzinho do mês passado recebi a Glambox do mês de Maio, a da NUSPACE – mas a vida está tão louca e corrida com os preparativos para a mudança pro apê novo que só agora parei pra sentar e escrever sobre isso. Mas antes tarde do que mais tarde, né? Além do quê, fazendo o post agora, deu tempo de testar algumas coisas. Então vamos ao que interessa: essa caixinha rosa linda e cheia de amor!

Primeiramente, adorei terminar conhecendo mais uma loja online para comprar itens de beleza – tem tanta marca amor na NUSPACE que eu tô dando graças a Deus que o apartamento levou meus dinheiros todos, senão certamente estaria quebrada até a próxima geração. A caixinha desse mês chegou no período certinho e achei bem equilibrada (4 amostrinhas e 4 full-sizes). Só senti falta de produtinhos de cabelo, já que nessa caixa não veio nenhum. Mas sempre tem a próxima caixa, né? (:

IMG_2813 Lenços Removedores de Maquiagem + Pads Esfoliantes + Esmalte + Sabonete Facial + Protetor Solar + Lenços Removedores de Esmalte + Hidratante Corporal (Romã) + Hidratante Corporal (Óleo de Amêndoas)

Do que eu recebi, eu já havia usado os lenços da Ricca (sempre maravilhosos para remover esmalte e super práticos, por conta de seu tamanho) e o protetor da Vichy (que inclusive, como vocês puderam ver, é meu protetor diário), com a diferença que o que eu uso no dia a dia é fator 30 e esse da caixinha é fator 50 (a maravilhosidade é a mesma).

O que eu já testei e que PRECISO falar sobre são os pads esfoliantes da Belliz. Gente! O pote em que eles vêm, além de ser um luxo, ajuda a mantê-los umedecidos por mais tempo. Como nunca tinha usado pads esfoliantes, quis abrir e testar right away. E, sim, eles esfoliam pra valer. Inclusive, quem for passá-los tem que ter uma mão leve pra não sair com a cara toda vermelha depois (true story). Em mim, que não tenho tantos cravos e espinhas, não notei diferença – mas testei no bofe, que é o REI dos cravos e a pele dele deu uma melhorada visível. Então, acredito que ele seja bom pra quem sofre com cravos e quer diminuir a regularidade com que eles aparecem. Acredito que uma vez por semana seja mais que suficiente para o pad cumprir o seu papel, mas cada um sabe de si e de sua pele, né? Também vou usar, com uma regularidade menor, porque também preciso esfoliar (mas minha pele é sensível e não aguenta muita esfoliação não). (:

Os outros produtinhos ainda vou testar – fiquem tranquilos, se me apaixonar por algum, venho aqui falar pra vocês! E aí, o que vocês acharam? Tem algum produtinho que vocês conhecem e amam? Comentem!

PS: Quem ficou com vontade de assinar da última vez e não assinou: ainda tem desconto de blogayra. Coloca “Amanda Arruda” (sim, desse jeitinho, mas sem as aspas) no espacinho de cupom de desconto, lá no site da Glambox, que você consegue R$33,10  de desconto nas assinaturas! Vem que eu quero comparar caixinhas (que é parte da diversão de se assinar uma Glambox, haha!).

Feminices, Pele

Update – Minha rotina atual de cuidados com a pele

Minha rotina de cuidados com a pele

Eu tenho tentado, ao máximo, tornar a minha rotina de beleza mais simples e efetiva. Uma grande mudança em relação à minha estratégia anterior é que eu estou, agora, lendo rótulos e procurando coisas que não agridam a minha pele – que apesar de ser oleosa, não lida bem com agentes irritantes, ficando com partes ressecadas, avermelhadas e irritadas. Essa mudança foi incitada pela leitura do livro The Original Beauty Bible, um ótimo livro de referência no que diz respeito à saúde e beleza da pele e das unhas. A autora joga algumas verdades que eu, noob que sou em assuntos belezísticos, não fazia ideia. É uma leitura bem legal pra quem não manja tanto dos paranauês – e até pra quem manja um bocadinho.

Enfim, voltando ao foco: a minha postura atual em relação a minha rotina de beleza. Comecei por tirar os agentes irritantes de cena, o que inclui cortar qualquer produto que contenha: álcool, sódio lauril-sulfato, ácido cítrico, cânfora, mentol, etc.  Ou seja: not an easy task, porque tem MUITA coisa com esses ingredientes no meio. Inclusive, quando fui passar o olho nos rótulos dos produtos que eu já tinha, pouquíssimos conseguiram se safar (nem meu, até então, amado e idolatrado gel de limpeza Effaclar para peles sensíveis!). Doei a maioria dos meus produtos de beleza e estou refazendo, aos poucos, meu estoque com coisas que eu realmente use e que não me façam mal. As rotinas que descreverei abaixo são resultado desse esforço para tratar melhor minha pele e ver se ela para de se revoltar comigo, haha!

AM

Para limpar a pele eu uso o Gel de Limpeza Dermotivin Original (a versão de 200ml tem um preço bem salgado, mas a de 70ml é pagável), para peles mistas e oleosas. Ele não contém nenhum agente irritante da lista principal da Paula e isso já ficou óbvio pela forma como minha pele se comporta depois que eu o utilizo – sem aquela secura excessiva, sem locais vermelhos e irritados. Se minha pele estiver num mau momento, aplico o Effaclar Duo e, em seguida, o protetor solar Capital Soleil, FPS 30. Caso eu resolva usar maquiagem, troco o protetor pela base compacta da SpectraBAN (que tem FPS 39) e sigo com a maquiagem.

PM

Se usei maquiagem, eu uso Shampoo Johnson neutro antes de tudo, uma vez que ele remove de forma rápida e sem drama a maquiagem dos olhos e da pele (infelizmente, ele contém agentes irritantes, portanto já estou procurando uma opção menos agressiva para a minha pele). Depois utilizo, novamente, o Gel de Limpeza Dermotivin (lavo duas vezes, para ter certeza que quaisquer resquícios de maquiagem e protetor solar foram embora) e, por último, uso novamente, o Effaclar Duo.

Ainda quero adicionar à minha rotina: um tônico, um base com protetor com um toque mais seco e mais leve (achei a SpectraBAN meio pesada, o que me incomoda), um demaquilante menos irritante e um hidratante para a noite mais leve que o Effaclar Duo (para quando a minha pele estiver se comportando bem).  Quem tiver indicações para fazer, deixa aí nos comentários!

Como é a rotina de cuidados com a pele de vocês?