Instagrão

  • Daqueles cantinhos que voc descobre e guarda no corao
  • casualmente being lra na timelinha de vocs curlyblond
  • tudo muda menos minha vontade de conhecer todas as cafeteriashellip
  •  sempre especial te reencontrar rafaellasouzar! E ainda mais conhecendohellip
  • Chewie se perguntando porque foi que a gente parou schnauzer
  • Que equipe incrvel que experincia massa blackfriday
  • hey ho lets go
  • meu companheiro de bingo que me ganhou 1 ventilador casalradical
Mundo Blogueiro Opiniões que ninguém pediu

A melhor de todas as dicas (para blogs e para a vida)

29 de Janeiro de 2015

Essa semana li um post sensacional da Annabel e não tive como evitar a minha total concordância com cada palavra que ela escreveu. No texto, ela falava, dentre outras coisas, que as pessoas davam muitos conselhos a novos blogueiros, como: escreva posts de dicas/conselhos; monte o seu nicho; se inspire em outras blogueiras (mas não copie, claro); seja única. Mas, para ela, a maior parte disso é bobagem e ela disse bem porque: não há como montar mais nichos específicos, a não ser que você, sei lá, misture coisas um pouco nada a ver (como batom, kung fu e mergulho, como Annabel exemplificou em sua publicação) em uma coisa só.  O que, venhamos e convenhamos, geralmente é forçação de barra. Mas pra mim, o mais interessante de todo o texto vem em seu final, com ela pedindo para que paremos de tentar agradar a todo mundo e bloguemos por nós mesmos. Com nosso jeito. Like nobody’s reading.

E, gente, eu acho que algumas vezes é isso que falta em alguns blogs por aí. A espontaneidade de sermos nós mesmos, como se ninguém tivesse lendo, como se não ligássemos. As pessoas ficam tão preocupadas em agradar todo mundo que se esquecem de uma coisa muito importante e maravilhosa, chamada PERSONALIDADE. Gata, se nem chocolate é amado pela totalidade da humanidade, quem você pensa que é pra querer agradar a gregos e troianos? E atente para o detalhe que, mesmo que você renegue seu ziriguidum no seu blog, você não vai agradar todo mundo, porque NÃO É POSSÍVEL agradar todo mundo, mesmo forçando a barra e dizendo que ama tanto Coca quanto Pepsi. Não é possível. Abrace essa realidade inexorável, repita como mantra todos os dias e leve pra sua vida.

Creio que blog é algo no qual temos, obrigatoriamente, que dar nossa cara à tapa e colocar nosso jeitinho, nosso gênio, nosso diferencial. Haverá pessoas que gostarão, haverá quem não goste também. Mas isso não é o fim do mundo. Muito pelo contrário: isso é a construção de um público. E a construção de um público é bem como a construção de uma rede de amizades verdadeiras: você não precisa forçar a barra e, mais importante, você não precisa abraçar o mundo. Já ouviu falar naquele dito que diz que quem é amigo de todo mundo, não é amigo de ninguém? Sim, é bem por aí no mundo blogueiro também. Então, veja bem: você não precisa se estressar, arrancar cabelos nem roer as unhas, porque você vai ser você e alguém, lá nesse mundão perdido da internet, vai gostar de você sendo apenas o que você é – e nada mais. Mesmo que você diga que não lê muito e prefere assistir à novela das 6 do que acompanhar Game of Thrones. Mesmo que você não seja do time dos gatos nem dos cachorros, e sim do dos hamsters. Mesmo que você diga que odeia chocolate (inclusive, melhor tipo de pessoa pra ter por perto, pois você comerá todos os chocolates que ela ganhar <3). Com todos os seus downsides (imaginários ou não), você conseguirá fazer algum amigo (a não ser que você seja um sociopata – e olhe lá). E não há necessidade, mesmo, de tentar ser alguém que não se é.

Não há nada pior do que não ser amado nem odiado, mas estar no meio. Quem está no meio não faz sentido. Não é lembrado. Não toma seu lugar no coração das pessoas, porque as pessoas não conseguem se identificar, já que não se dá dicas do que se é para elas. Você, em suma, não consegue fazer amigos nem inimigos, porque eles não sabem o que esperar de você. Você plana no pantanoso campo da politicagem, sendo legal com todo mundo – e com ninguém, ao mesmo tempo. Ser política, no seu próprio blog, é algo que não faz sentido pra mim. Isso aqui é a hora do recreio, um momento de compartilhar o lanche e comentar do fim de semana. Mentiras ou omissões não estão inclusas.

Claro, você pode dizer que eu não sei do que eu estou falando. Poxa, Amanda, mas você tá na blogosfera há tanto tempo e nunca virou blogueira profissional. Bem, esse nunca foi meu intuito. Sempre bloguei por prazer, porque encontrei aqui exatamente o que eu falei pra vocês lá em cima: uma rede de amigos. Por nunca ter me importado em mostrar minha cara e ser sincera em relação ao que gosto e o que não gosto – coisa que, algumas vezes, me atrapalha no dia a dia, mas que é uma característica da qual eu não abro mão – eu angariei vários amigos, amigos que eu carrego até hoje, desde dos meus tempos de zip.net. E vou contar uma coisa pra vocês: não tem coisa melhor do que se encontrar em outras pessoas que você nunca nem viu, no mundo real. Isso tudo porque você deixou eles vislumbrarem seu verdadeiro eu.

Ser sincera e ser você não quer dizer que você vai ser famosa – e nem quer dizer que você não vai ser. Pode ser que a sua platéia seja pequena, pode ser que você angarie vários haters, pode ser que você seja um sucesso global. Isso tudo é uma mistura de esforço, sorte e timing. Mas uma coisa eu te garanto: você vai ter leitores. Fiéis. Que vão ser como ser como amigos, sempre ao seu lado, seja silenciosamente ou marcando presença na sua caixa de comentários e nas redes sociais. E isso, meus amigos, vale muito. Vale mais.

Além do quê, como disse Annabel (e eu reitero): não é necessário nenhum esforço para ser único, porque você já é. Só deixe que todo mundo saiba disso.

  • Reply
    Bianca
    29 de Janeiro de 2015 at 10:00

    Isso é tão verdade! Acho muito legal quem tem blogs bacanas e que se encaixam em um nicho, mas não quer dizer que todo mundo tenha que fazer o mesmo. Alguns dos meus blogs favoritos assumem esse posto por serem justamente uma projeção de quem os escreve. Gosto de ler causos e curiosidades sobre as pessoas, de torcer por elas, enfim, e acho o máximo como a blogosfera, mesmo com toda a profissionalização que vemos por aí, continua sendo um lugar legal de se fazer parte. Anteontem, quando estava editando o vídeo do blog, minha mãe falou: “mas Bianca, por que você não gravou ali na parede? Vai mostrar as vergonhas no fundo?” Sei lá, eu concordo que minha mesa de trabalho é uma zona, mas é uma coisa que combina com a minha personalidade e revela muita coisa a meu respeito. Ainda não me encontrei 100% como blogueira – às vezes, não sei se é isso que eu quero. Mas encontrei tanta coisa incrível pelo caminho – minha ~profissão~, por exemplo, e conheci pessoas maravilhosas, que nunca conheceria de outro jeito porque vc sabe que sou couch potato <3 – que não tem como pensar em abandonar esse mundo. Esse conselho de seja vc mesmo é o melhor e pior conselho que existe: espanta e assusta muita gente, mas aquelas que continuam por perto sempre valem muito a pena! E não trocaria isso por nada mesmo!
    Excelente post, gata :*

  • Reply
    Camile Carvalho
    29 de Janeiro de 2015 at 10:12

    Ótimo post, Amanda. Realmente hoje parece que surgem dezenas de novos blogueiros a cada dia, e todos usando uma fôrma, um padrão, que mal conseguimos identificar quem, de fato, é aquela pessoa por trás da tela. Além de todas as dicas de SEO pra um blog ter seu sucesso, vemos tantas cópias por aí, blogueiros iniciantes querendo pegar uma fórmula de quem já ficou famoso e fazer tudo igual, como se os leitores fossem gostar.

    Sabe, às vezes faço um post bem trabalhoso, todo bonitinho dando dicas, explicando algo útil aos meus leitores mas de um jeito menos pessoal, mas os posts que mais tenho visualizações e interações são aqueles que eu sento em frente ao computador sem nem ao certo saber o que vai sair dali e escrevo de forma espontânea algum desabafo ou como foi minha semana, e clico em publicar.

    Fico me perguntando às vezes qual o nicho do meu blog, se deveria fechar um pouco mais pra ser mais específico, mas a verdade é que… tem nicho mais específico do que ser eu mesma? Somos pessoas únicas, com características próprias vivendo uma história única. Não tem nada melhor que sermos nós. E quem gostar dos nossos blogs é porque se identificou conosco do jeito que somos. 🙂

    Beijos!

  • Reply
    Hemylle
    29 de Janeiro de 2015 at 10:37

    Super verdade tudo o que você disse. Amei mesmo. E eu descobri os seus textos nos tempos de Maças Verdes, e de lá pra cá adoro ler tudinho. Muita gente deve ter essa mesma admiração por ti, e isso conta um bocado; essa capacidade de inspirar outras pessoas. 🙂

  • Reply
    Kah Souza
    29 de Janeiro de 2015 at 12:09

    Palmas pra esse seu texto.
    Acho que com essa ~gourmetização~ dos blogs, as pessoas criam o seu pensando em ficarem rycas, fazendo resenhas de coisas que elas não usar/gostam/sabem pra que servem direito (isso é só um dos exemplos, hahaha). Tipo, você lê a coisa e tá na cara que o ser não sabe do que tá falando, e nem gosta daquilo, é triste. Adoro essas dicas pra ajudar a criar conteúdo pro blog, se organizar melhor em relação a ele e etc, mas o mais importante, é entender que não é uma fórmula exata, são apenas dicas. E principalmente, com TANTOS blogs por aí (falando sobre tantos temas que se repetem), se não for a sua personalidade que chamar atenção e ver as pessoas voltarem, nada mais vai.
    Adoro blogs estilo diário, que as pessoas contam sobre suas vidas, dão algumas dicas (nada profi, super na boa mesmo) e seguem sua vida normalmente, afinal, aquilo tá ali pra compartilhar um pouquinho do que ela acha legal. Eu to com meu blog a pouco tempo, mas já gosto muito das pessoas que conheci, algumas amizades que fiz e gente que sempre volta nele pra comentar e se interessa pelas pequenas coisas que acontecem no meu dia,isso é muito amor. Acho que isso é o amor que rola aqui na blogsfera, hahaha.

    Beijos!

  • Reply
    Carolina
    29 de Janeiro de 2015 at 15:29

    Gente, mas eu quero levantar e aplaudir esse texto! Eu sempre fui uma pessoa perfeccionista e é da minha natureza voltar a ler posts que escrevi (ou voltar a ver qualquer outro projeto que eu tenha feito) e encontrar vários defeitos que eu corro para editar. Nunca parei pra pensar que talvez o que eu chame de erro possa ser uma marca da minha pessoalidade. Me sinto até melhor escrevendo simplesmente sobre como foi minha semana ou desabafando sobre algo que aconteceu. Enfim, autenticidade é algo que definitivamente dá para encontrar nos seus textos e por isso gosto tanto de lê-los <3

    Beijo!

  • Reply
    Daniela Brisola
    29 de Janeiro de 2015 at 17:49

    Amanda, que texto mais lindo. É tão o que penso. Estive durante algum tempo afastada dos blogs, tanto do meu quanto dos de outras pessoas, porque sentia isso, faltava originalidade, faltava coração, faltava personalidade. Hoje blog por puro prazer, descobri que faz parte da minha essência e me sinto tão mais livre para escrever sobre o que quero escrever. Mas o melhor de tudo é que hoje sinto orgulho do que escrevo, porque sei que estou escrevendo para mim, de acordo com a minha personalidade. Às vezes até chego a me perguntar “será que alguém está lendo isso?”, mas aí penso e não me vejo mais sem o blog, penso no futuro e lembro que vai ter dias que vou querer relembrar tudo aquilo e estará lá, tudo registrado, contando parte da minha vida, da minha história e dos meus gostos. Espero que cada vez mais pessoas se sintam inspiradas a blogar por prazer e com personalidade, para que a gente tenha mais blogs lindos com o seu. Beijos

  • Reply
    Cíntia de Melo
    30 de Janeiro de 2015 at 13:01

    Gente, falou tudo! vou até colar em um grupo que participo.
    Essa coisas das pessoas escreverem, esperando que as outras gostem, ta matando os blogs. Fica um blog totalmente sem personalidade, onde voce entra e já sai de tanta tristeza.
    Sou tua fã!
    beijos

  • Reply
    Larissa V.
    30 de Janeiro de 2015 at 16:45

    Isso acontece muito e principalmente com “temáticas da moda”. E não só esses posts chulé que são feitos pra seguir uma vibe, mas também os blogueiros que agora só postam pra inflar ego ou ganhar alguma coisa (seja dinheiro, sejam livros, qualquer coisa).
    Há algum tempo eu andei desesperada pq ninguém visitava meu blog, e pensei que os negócios que eu posto deveriam ser muito nada a ver ou desinteressantes. Daí eu percebi que as poucas visitas que eu recebo, são visitas de qualidade. Raramente alguém aparece lá por “obrigação de responder um comentário” com aquelas frases curtas tipo “adorei esse tema, seu layout tá lindo, bjs”. As pessoas vão lá e se interessam pelo assunto, comentam sobre, trocam idéias. E isso é mais legal do que ter 275678445 comentários fúteis de gente vazia, que não vão acrescentar absolutamente nada na minha vida.
    Realmente, ótimo post, alguém tava precisando falar isso.
    Beijo!
    http://chasingdragon.blogspot.com

  • Reply
    Luma Rosa
    31 de Janeiro de 2015 at 02:40

    Se você não bloga sendo você mesma, um dia ficará frustrada! Uma mentira não dura para sempre!
    Já fiz alguns posts para inciantes, como um em que dou 50 dicas… mas esse lance de nicho é o bicho! É para colocar grades e nivelar espaços… Blogar tem que ser ato livre!

  • Reply
    Renata
    31 de Janeiro de 2015 at 15:57

    Nossa, concordo demais com o seu texto! E tem tanta gente querendo ser famoso que alguns blogs nem fazem mais sentido, sabe? Aqueles blogs que se tornam a “receita de bolo” divulgada pela internet que parecem iguais e você nem sabe quem escreve? Então… Eu sempre acreditei no blog pessoal, no blog diário, e sempre gostei muito dos que eu leio e consigo me sentir de alguma forma parte da vida daquela pessoa.
    Aliás, te acompanho desde o maçãs verdes e o blog novo está muito lindo mesmo! Ainda não tinha tido tempo de comentar, mas está muito amor <3
    Beijo!

  • Reply
    Paloma
    2 de Fevereiro de 2015 at 08:47

    Oi, Amanda. Adorei o texto e já fui conferir o outro que te inspirou, porque achei tudo bem verdadeiro. A gente vê demais por aí gente que está obviamente blogando (e fazendo tudo na vida, mas vamos falar de blogar no momento) porque quer fazer sucesso e no meio do caminho esquece completamente o conceito de personalidade. Não acho todas as dicas completamente inúteis, volta e meia eu mesmo saio por aí procurando dicas, mas acho que elas são úteis mesmo em quesitos de organização e manutenção do blog, porque o conteúdo é (e PRECISA ser) algo muito pessoal. Eu ~pessoalmente~ não consigo ir até o fim quando vejo que um texto é só cata-leitor, acho que grande parte da graça é você sentir que está conhecendo um pouco da pessoa que está do outro lado, é esse intercâmbio.

    Beijos!

  • Reply
    Mila
    2 de Fevereiro de 2015 at 16:50

    De vez em quando me sinto uma estranha no ninho quando os grupos que participo sobre blogs começam a debater técnicas de monetização, fidelização, publipost e outros etc que nem entendo.
    Fico pensando quando foi que todo mundo deixou de blogar pelo prazer de escrever e começou a blogar pela “obrigação” de ganhar dinheiro e fama. Daí vejo posts como esse e percebo que não foi todo mundo, não. Tem mais gente que ainda escreve por amor, diversão, passatempo.
    Ainda bem. =)

  • Reply
    Ludimara Souza
    3 de Fevereiro de 2015 at 10:26

    Precisava ler algo assim hoje! Sabe quando você sempre teve seu blog como seu cantinho, mas aí vem aquela noia de agradar todo mundo e fazer posts populares etc? Eu estava assim, mas esse texto seu veio como um balde de água fria, como um tapa na minha cara seguido das seguintes palavras “SEJA VOCÊ MESMA!”.
    Ótimo texto!

  • Reply
    nati
    3 de Fevereiro de 2015 at 18:29

    São essas coisas que tem me afastado da blogosfera, infelizmente
    É tão decepcionante perceber quantas blogueiras só estão atrás de popularidade…!
    As vezes até blogs legais acabam se perdendo nisso.
    Enfim, estou procurando mais blogs genuínos por aí 🙂

  • Reply
    Compartilhando o amor: ideias incríveis para decorar seu local de trabalho – Amanda Arruda
    11 de Fevereiro de 2015 at 12:04

    […] mimar nosso público e conseguir mais fãs: os freebies. Chequem o post dela, absorvam as dicas, mas não deixem de colocar sua personalidade nisso, […]

  • Reply
    Bons Links #9 | Lectícia
    13 de Fevereiro de 2015 at 08:25

    […] – A Kah do E Aí, Beleza fez um vídeo sobre os temidos pêlos faciais. – A Amanda deu alguns conselhos ótimos para blogs (e para a vida também) – Buzzfeed fez uma lista de motivos pelos quais você NÃO deve visitar a Flórida. – A Anne do […]

  • Reply
    O que foi em Fevereiro. | Lee Chats
    15 de Abril de 2015 at 11:35

    […] no armário, com medo de escrever e divulgar por aí. E esse post me fez sair dele (post que vi no blog da Amanda um dia) e começar a pensar menos nos outros e mais em mim. Mas muito aconteceu; Eu revelei um […]

Leave a Reply