Amanda Arruda - Lifestyle, Decoração, Livros e Feminices
Livros & Outros Amores

Últimos lidos e amados

Faz tempo que eu não falo de livros aqui, né? Pois bem, eu tenho estado meio lenta nesse quesito e meu Goodreads me diz que estou 5 livros atrás da minha meta para o ano (“ousados” 25 livros, que comparados à meta de 100 de algumas amigas, é nada). Li 11 até agora e 10 foram de não-ficção e 1 foi uma releitura – do we see a pattern here? Não há como negar: empaquei em não-ficção de um jeito que vai ser difícil sair. Não me vejo lendo nada fora dessa categoria num futuro muito próximo, mas quem sabe das vontades do coração, não é? No momento, estou realmente empolgada em ler biografias e relatos de coisas que realmente aconteceram e observar como pessoas de verdade, como eu e você, lidaram com elas. Já que nenhum de nós vem com manual, ler sobre a vida das outras pessoas é o mais perto que a gente chega de um encaminhamento para esse cotidiano louco que insiste em nos surpreender.

Sem mais delongas, estão aí minhas últimas 3 leituras do coração:

◊  My Life in France – Julia Child (tem versão em português)

Desde que assisti Julie & Julia (um dos meus filmes favoritos, inclusive), fiquei realmente apaixonada pela Julia Child e louca para saber mais sobre a vida dessa moça que revolucionou a cozinha na América, trazendo a culinária francesa para as casas de quem não sabia cozinhar e não tinha o luxo de ter uma cozinheira. O livro é apaixonante, porque Julia é cheia de energia e positiva. O marido dela é o yin do seu yang, sendo mais sensível e equilibrado – mas sem nunca tentar apagar a chama que Julia era. Eles foram um casal incrível e ler sobre as aventuras deles em La Belle France é algo tão gostoso, tão divertido, tão leve que quando o livro acabou, tenho que dizer que restou um sentimento de perda no meu coração. Indico para todos que amam comida, que adoram viajar e que curtem a França (ou seja, todos nós?).

◊  The Sharper The Knife, The Less You Cry – Kathleen Flinn (ainda não tem tradução para o Brasil)

Esse livro, se não me engano, foi indicação do Goodreads, baseada nas minhas leituras – mas veja você mesmo quantos acertos! A Flinn é uma jornalista que é demitida de um cargo executivo no qual ela não estava feliz nem tampouco indo bem e que decide, com incentivo do namorado, aproveitar a deixa e se mandar de Londres para a França, para estudar na famosa escola de culinária, a Le Cordon Bleu. Parece clichê (e é um pouco, não vou mentir), mas é tão gostoso de ler. O livro é bem focado na experiência dela na escola em si – diferentemente do livro da Julia, que fala das experiências dela no geral, na França e em outros países. Pra mim, foi uma leitura muito interessante, porque sempre quis saber como é estudar na Le Cordon Bleu. O livro ainda tem umas receitas no meio, mas como o livro é em inglês (e não tem tradução ainda), é meio chato de adaptar os ingredientes, então nem me empolguei a testar nada.

◊  Livre – Cheryl Strayed (o original é em inglês)

Esse livro. O que falar desse livro? Ele estava na minha estante há ANOS. ANOS! E apenas há poucos meses atrás eu finalmente tive a decência de lê-lo. E que bom que eu tive! Livre (ou Wild, no título original) é a história dessa moça, a Cheryl, que perde a sua mãe, acaba seu casamento e decide se jogar numa trilha (a Pacific Crest Trail) e viver as aventuras da vida selvagem. Andando. Sozinha. E ela não só encontra ursos, cobras e outras coisas apavorantes, como ela encontra a si mesma. É um livro incrível e que ficou atrás, em termos de apaixonamento, apenas de Comer Rezar Amar, que me ganhou de um jeito que poucos livros na vida me ganharam. É uma leitura envolvente: a gente sofre com Cheryl, a gente se preocupa com ela, a gente torce por ela. O grande problema é que me deixou com uma vontade imensa de me jogar numa trilha, só que eu sei que: eu tenho 0 condicionamento físico e MORRO de medo de altura – e geralmente, em algum momento dessas trilhas, você passa por situações tensas que envolvem altura. Portanto, estou sentando e esperando a vontade passar, mas de qualquer forma: livro maravilhoso, leiam se puderem.

E aí? Já leram esse livros? Têm algum outro desse gênero para me indicar? Deixem seus pitacos nos comentários! 😉

 

Da rotina

New beginnings

 

Foto por: Bench & Compass

Foto por: Bench & Compass

Agosto veio com as minhas férias e, gente, eu resolvi realmente tirar férias. Não cheguei nem perto de um computador nesse período. Assisti coisas (Stranger Things, Olimpíadas, You Got Mail pela centésima vez), li coisas, me viciei em blogs, pratiquei yoga, comi besteira, comi coisas saudáveis, fui comprar fruta na feira (e a pé, o que é ainda mais incrível) e fiquei deitada no sofá contemplando o vazio – e chegando à conclusão que esse sofá é mesmo muito desconfortável e que precisamos de um novo. Entre várias outras coisas maravilhosas que você só faz de boa quando está de férias. Foi incrível e extremamente necessário. Entretanto, acabou e agora eu tenho o desafio de encaixar uma nova rotina no meu dia a dia.

Recentemente, fui escalada para trabalhar home-office – uma novidade muito bem-vinda, já que não moro exatamente perto de Recife (onde a agência em que eu trabalho atua) e costumava perder boas 2 a 3h no trânsito, diariamente. E, com essa mudança, vem a possibilidade de mudar uns hábitos e formular novas rotinas.  Ainda estou tentando descobrir o que funciona e o que não.  Certos bons hábitos já construídos, como acordar cedo, escolhi manter – embora ainda assim eu não esteja acordando TÃO cedo quanto acordava antes. Ainda estou vendo se preciso dormir mais de 8h (provavelmente não). Irei testar alguns dias, ver como eu acordo e decidir qual será o horário do meu despertador.

Outros hábitos que eu desejo construir agora têm vez, porque eu tenho mais horas no meu dia. Yay! Como não podia deixar de ser, fiz uma listinha deles para vocês.

+ Praticar Yoga diariamente. Ou o máximo que eu puder. Comecei recentemente a acompanhar uns vídeos no canal do youtube Yoga TX e, a exemplo de Camille, também estou tentando iniciar o aprendizado de uma série de Ashtanga (uma palavra pra vocês: difícil). Passei uma semana praticando bastante e senti falta de praticar quando não fiz. Essa semana, especificamente, estou meio lenta (TPM?) e ainda não fiz nada. Mas vamos ver se a coisa flui daqui pra sexta.

+ Correr 3 a 5 vezes por semana. Aqui no prédio temos uma pista de corrida que não é lá essas coisas, mas resolve. Daí resolvi que vou começar a praticar corrida, porque essa gordurinhas não vão embora sozinhas, não é mesmo? Além do quê eu preciso entrar em forma, porque não dá esse negócio de subir um lancezinho de escadas e achar que vai morrer, né?

+ Comer de forma mais saudável. Eu tô tentando, gente, mas a TPM realmente não tá deixando. Entretanto, está nos meus planos mexer na minha alimentação de forma a torná-la mais saudável, mais nutritiva. Algumas mudanças já foram feitas, mas há muitas mais pela frente para que esse desejo se torne uma realidade.

+ Estudar francês. Acho a língua incrível e já tenho várias ferramentas para começar esses estudos. Só falta empolgar mesmo. Baixei podcasts, aplicativos e tenho um livro texto, uma gramática e um dicionário. Simbora, né?

+ Melhorar nas tarefas de casa. Pequenas coisas fazem com que a casa pareça mais organizada e é nessas coisinhas que eu sempre peco. Quem sabe com mais tempo livre eu consiga manter o cafofo em melhor forma, né?

+ Ser uma blogueira melhor. Eu sei, gente, você devem achar que minhas promessas são vazias e eu não os culpo, porque né? Mas juro que eu quero aparecer mais aqui e compartilhar mais com vocês. Eu só preciso me centrar e me organizar antes.

+ Ler mais. Estou numa fase bem forte de não-ficção e recentemente coloquei vários livros de diários de viagem no Kobo. Não creio que esse será um hábito difícil de construir, é só sair um pouquinho da frente da TV. (:

Acho que, por enquanto, é isso. Tenho muito trabalho pela frente, mas há algo de empolgante em montar novas rotinas, não é? Mudanças nem sempre são fáceis, mas essa parte me deixa bem empolgada.

E vocês, têm alguma dica para me dar nesses pontos que coloquei ali? Deixem nos comentários!

Feminices, Pele, Roacutan

Roacutan: Diário de Bordo – 5 meses

Foto: whitelivingetc

Aqui estou do alto do quinto mês de tratamento com Roacutan para dividir com vocês como está sendo essa caminhada. Estou muito feliz de que, agora, já estou em mais da metade do tratamento e o fim, meus caros, está próximo. Para quem não vem acompanhando o diário, minha dose é de 40mg e eu farei 8 meses de tratamento (why soooo long).

Para início da nossa conversa, o último exame de sangue (feito ao fim do quarto mês) deu absolutamente normal. Viva! Estava muito preocupada que as triglicérides fossem aumentar ainda mais, mas muito pelo contrário – elas diminuíram. Sozinhas. Com o total de 0 dietas. Não quis acreditar quando peguei os resultados, mas dei, obviamente, graças a Deus, porque não estava nem um pouco afim de deixar o tratamento pela metade.

Continuo comendo do jeito que estava comendo antes do tratamento começar – algumas vezes faço a festa, mas no geral é comida bem normal. Tenho levado muita marmita pro trabalho, então não consigo ser muito vida louca no aspecto alimentício da vida. Não estou fazendo exercícios físicos, porque a crise, ela chegou, e eu tive que sair temporariamente do Muay Thai. E como não tenho coragem/paciência para as opções free de exercícios físicos, estamos bem sedentários no momento mesmo, obrigada. Também tenho respeitado a advertência de não ingerir álcool e minha sangria do dia dos namorados foi feita com suco de uva. Pois é. Ninguém disse que seria fácil, mas estou levando.

Quanto à pele, bem. Achei que seria dessa vez que eu publicaria uma foto aqui, but not yet. Na verdade, a coisa nem tá tão ruim assim. Tive uma melhora bem notável. A piora passou, depois de um tenebroso inverno. A única tristeza é que zilhões de marquinhas vermelhas ficaram, agindo como um ‘as espinhas todas do mundo estiveram aqui’, right on my face. Eu ainda não me sinto muito bem na minha pele, nem quero aparecer em fotos sem maquiagem, mas noto uma melhora. A parte da minha pele onde as espinhas não estouraram está maravilhosa – o que, basicamente, é o resto do rosto menos as bochechas.

O queixo despela de vez em quando, que é uma área na qual eu nunca tive muitas espinhas, mas a parte que eu quero que despele, que são as bochechas, essa não despela nem com a bexiga. Tenho a esperança que mais para o fim do tratamento ela dê uma despelada e limpe melhor a pele. De qualquer forma, minha dermatologista já disse que a partir do sexto mês vai passar algo leve para cuidar das manchas, então elas não devem ser um problema por muito tempo.

Essa semana, depois de praticamente um mês de pele lisinha, apareceu uma nova espinha, enorme, na minha bochecha (claro). Graças aos céus, não é interna, então deve ir embora logo. Não tenho cutucado tanto as espinhas, mas algumas demoram tanto a ir embora que perco a paciência e termino expulsando-as eu mesma. Tanto faz, porque mesmo as que não espremo deixam marcas, não tem muito o que fazer.

Quanto aos efeitos colaterais, o clássico permanece, firme e forte: ressecamento em todos os lugares possíveis e imagináveis. Tornou-se parte da minha vida sorrir um pouco menos aberto, para evitar um lábio rachado (e um possível sangramento). Espero que as pessoas não achem que eu sou falsa por conta do meu sorriso ridículo. Moça, não é nada com a senhora, I just can’t.  O cabelo está bem seco, mas consigo lidar bem com ele. Lavo apenas uma vez por semana e ele tem caído bem menos depois dessa decisão. Têm aparecido zilhões de pelos encravados por conta da pele ressecada, o que é um saco, porque eu nunca consigo lembrar de passar hidratante. Você pensaria que tomando Roacutan eu lembraria, porém não. Eu moro em Recife, for God’s sake. A umidade equivalente a viver em uma sauna deveria ser suficiente.

Meu olho incomoda um pouco, algumas vezes por semana, então eu apenas pingo um pouco de colírio lubrificante nele e tudo dá certo. No geral: tudo secou, gente, e não tem água nesse mundo que hidrate. Mas sigo bebendo o máximo de água que posso/consigo. Algumas vezes, devo admitir, não é muito.

Um efeito colateral bem chato é a tal das dores nas juntas. Gente, me sinto uma velha de 80 anos com essas dores. Quando estou trabalhando e tal, me movimento muito, então não sinto dores nem nada. Porém, nos fins de semana, quando eu estou em casa, jogada no sofá por horas, e preciso me levantar para pegar alguma coisa, tudo dói. A coluna, o cóccix, as juntas do joelho, o tornozelo. Saio andando toda encriquilhada, resmungando um ai, ai em direção à geladeira, ao banheiro ou ao que quer que eu tenha achado que era uma boa ideia e terminou, no fim, não sendo.

O meu sono também tem estado irregular. Eu sou, gente, uma pessoa de sono solto. Eu durmo a noite inteira. Eu não fico de palhaçada, acordando de duas em duas horas. Mas agora, aparentemente, não. Agora eu sou uma pessoa que dorme e acorda 800 vezes por noite. E é horrível. Não acontece todas as noites, mas é um problema que bate ponto umas duas/três vezes por semana, o que é incômodo o suficiente. E interessante é que eu estou sempre CAINDO de cansada bem cedo. 21h é o meu máximo, sendo que semana passada eu fui pra cama, em um dos dias, às 20h! Não entendo como alguém pode estar tão cansada, cair no sono assim que a cabeça toca o travesseiro e, ainda assim, ter um sono tão ridiculamente irregular. De qualquer forma, tenho sobrevivido a esse drama. Como não acontece TODOS os dias, consigo me recuperar entre os dias em que acontece e permanecer, assim, um ser humano.

Ainda estou usando o Dermotivin para limpar a pele (só lavo uma vez por dia, à noite). Uso a Água Micelar, da L’oreal, para demaquilar e o BB Blur, da Effaclar, no lugar do protetor. Continuo firme e forte com o lip balm azul escuro da Nivea e quanto aos colírios, compro um diferente cada vez que eu vou na farmácia, porque nem vale tanto à pena investir neles pra mim, meus olhos não incomodam tanto e os baratinhos resolvem o problema.

Queria agradecer os comentários de vocês nos posts anteriores e dizer que fazendo o meu melhor para ajudar com alguma dúvida que vocês tenham (se eu não respondi algum comentário, não me matem, a vida não tá fácil, de verdade!).

Então se você já fez esse tratamento ou está fazendo ou quer fazer e tem algo para adicionar ou perguntar, por favor, deixe sua contribuição logo abaixo e eu te responderei. Não sei muita coisa, mas podemos trocar umas figurinhas. (:

Casa & Decor, Listas

10 perfis do Instagram para te inspirar na decor

Eu gosto de coisas bonitas, gente. Não o bonito pelo bonito, mas pra mim o funcional também tem que ser agradável ao olhos. Por isso, meu instagram é sagrado: só entra pros meus seguidos perfis queridos e/ou com um feed muito lindo. E uma das categorias que eu mais gosto de garimpar coisas bonitas é a de decor, parte porque estou nessa luta para terminar de mobiliar e decorar a minha casa, parte porque conhecer interiores é conhecer um pouco da vida das pessoas e vocês já sabem que eu sou essa pessoa que gosta de conhecer um pouco das outras, por meio nem sempre óbvios, né? A gente se sente menos sozinho no mundo dessa maneira.

Anyway, hoje estou aqui porque resolvi dividir com vocês os meus 10 perfis de decor (ou que compartilham muito desse assunto) favoritos, para tornar a vida (e o feed) de vocês mais inspiradora e bela. Thank me later. (:

♦♦♦

@decorimpos:

Sabe quando a gente precisa de inspiração para saber o que fazer naquele último cômodo complexo da casa? Taí a chave. O @decorimpos é um perfil cheio de fotos lindas, escolhidas com visível cuidado e bom gosto. Eu amo tudo nesse perfil e fico querendo que todas as coisas que aparecem nele fosse parar, automaticamente, na minha casa (como, por exemplo, essa linda SMEG, mas francamente, ONDE ELA CABERIA?). Maravilhoso!

@historiasdecasa:

Não sei se vocês conhecem o blog desse perfil, mas se não conhecem, conheçam! É um blog lindo, que conta histórias de vários cantinhos (daí o nome). Pra quem gosta de um estilo mais orgânico, esse é o perfil. Diversos lares lindos de gente como a gente, que faz a gente pensar que a gente pode fazer algo lindo na nossa casinha também. <3

@the_home_edit:

Ok, esse é mais um perfil de ideias de organização para cantinhos do que de decoração, em si. De qualquer forma, coisas organizadas são sempre mais bonitas, né? Esse perfil dá várias ideias de organização para espaços e nos inspira a dar um jeito naquela mesa que está sempre acumulando coisas (true story).

@lovehomeinterior:

Tudo aqui é LINDO. LINDO! Eu poderia, de fato, viver nesse feed. São ambientes com uma pegada meio escandinava (que é o que mais amo em termos de decor) e cuidadosamente escolhidos de forma que não tem UMA FOTO que não faça com que eu queira ser rica para ter tudo aquilo que esse perfil compartilha. Eles geralmente compartilham fotos de outras pessoas, portanto é uma ótima maneira de encontrar novas fontes de inspiração, as well.

@scandinavianhomes:

Então, como o próprio nome já diz, esse é um perfil que posta fotos de casa no estilo scandi. O dono do perfil é designer de interiores e publica fotos de seu próprio trabalho em algumas casas. É tudo muito limpo, discreto e funcional, mas com aqueles detalhezinhos que dão vida à casa, sabe? Um amor, pura inspiração!

@nordikspace:

Ok, gente, eu admito: eu queria viver na Suécia, com seus pisos de madeira, seus pés-direitos altos e suas paredes de tijolos brancos. Não tem como negar. Esse é mais um perfil com influências escandinavas, puramente inspiracional. O perfil compartilha fotos de outros perfis, então se você é aloka dos perfis scandi, que nem eu, essa é mais uma fonte maravilhosa.

@kate.lavie:

Essa é uma blogueira escocesa que eu acompanho há algum tempo, já. Ela sempre está fazendo alguma modificação na decoração da sua casinha e postando, tanto no blog quanto no feed do Instagram, então tem sempre fotos lindas de interiores por lá. A casa dela é realmente maravilhosa e ela tem um gosto muito similar ao meu, então já tirei algumas ideias de lá. (:

@theassemblyhome:

Esse é um perfil de uma loja online, mas gente: quanta coisa linda! Quem dera eu não tivesse mais quebrada que arroz de terceira. Eles fazem trabalhos com cerâmica, madeira e linho e são coisas visivelmente de boa qualidade. No feed deles sempre tem fotos bonitas – inclusive de interiores e festinhas – que podem servir de inspiração para futuros empreendimentos. 😉

@meaganfloris:

Esse é o perfil de uma fotógrafa. Pois é, sigam agorinha mesmo. É lindo e entre flores e lindos trabalhos de caligrafia, temos várias fotos incrivelmente inspiradoras do que parece ser a casinha dela. É lindo demais o cantinho, pelo o que eu vejo pelo feed, e o que eu quero saber é: quando eu vou ter dinheiro prum treco desse? Ficaí o questionamento para a gente se fazer, enquanto scroolamos pelo feed dela.

@calivintage:

Ela é blogueira e tem um feed lindo, cheio de pirrais, verde e interiores inspiradores. A casinha dela é uma mistura entre o clean, mas orgânica, um equilíbrio entre aqueles cômodos que a gente acha que ninguém pode realmente morar e um lar de verdade.

♦♦♦

E vocês, têm algum perfil pra indicar pra mim? Deixem aí nos comentários, porque estou sempre procurando gente nova pra seguir por lá! (: